Os Brazucas da Indy

20/09/2010

A coluna post do leitor de hoje foi enviada por Antonio Carlos Moraes ele nos mandou um resumão dos pilotos brasileiros que correm na Indy.

Hélio Castroneves


Corre por uma das equipes mais tradicionais do automobilismo, a Penske, e é um dos favoritos ao título. Tem 16 vitórias no currículo e dois vice-campeonatos, em 2002 e 2008. Enfrentou um duríssimo processo por fraude fiscal no ano passado, quase acabou preso, mas foi inocentado e, menos de uma semana depois, faturou pela terceira vez as 500 Milhas de Indianápolis. O cara tem ginga, literalmente: em 2007 foi campeão no programa de TV americano Dancing With The Stars, consolidou-se como uma das personalidades esportivas mais conhecidas nos EUA e, dizem os rumores, ainda pegou a parceira de dança!

Tony Kanaan


 
O melhor amigo de Rubens Barrichello (os dois já chegaram a correr com as cores dos capacetes trocadas, como forma de homenagem mútua) foi campeão da IRL em 2004, vice-campeão no ano seguinte, e fechou as duas últimas temporadas na 3ª posição. Alguma dúvida de que o simpático baiano de nariz pronunciado está entre os favoritos? Piloto da equipe Andretti-Green), Tony coleciona 13 vitórias na categoria desde sua estréia, em 1998, e já venceu as 500 milhas de kart da Granja Viana nada menos que oito vezes, sempre pela equipe do “irmão” Barrichello.

Bia Figueiredo


A piloto (ou pilota?) paulistana faz sua estréia na Indy nesse final de semana. Mas não pense que se trata de uma iniciante inexperiente, ou apenas uma jogada de marketing: Bia cumpriu com louvor diversas etapas de formação para pilotos monopostos no Brasil e no exterior. Nos últimos dois anos, disputou a Indy Lights, venceu duas corridas - a primeira mulher a obter tal façanha na categoria - e ainda foi eleita a personalidade do ano (espertos, esses caras). Ficar de olho nela não vai ser difícil: além de boa no volante, a moça é uma graça.

Mario Moraes

Estreou na Fórmula Indy em 2008, com apenas 19 anos, vindo da tradicional Fórmula 3 inglesa. Na temporada seguinte, após uma boa seqüencia de pontos, foi eleito a grande surpresa do ano, em eleição realizada pelos próprios concorrentes. Mario corre na KV Racing Technology, equipe do ex-piloto Jimmy Vasser. O sobrenome te parece familiar? Tem que ser mesmo: o rapaz é neto de Antonio Ermirio de Moraes, o todo-poderoso presidente do Grupo Votorantim.

Mario Romancini

Outro piloto que faz sua estréia na categoria na São Paulo Indy 300 (nome oficial da prova), Mario Romancini cumpriu o ritual de formação da Indy Lights no ano passado com destaque: venceu duas provas e por pouco não fatura Indianápolis, a corrida mais importante do calendário. O paulistano já correu na Fórmula 3 sul-americana e na World Series européia. Para 2010, assinou contrato com a equipe Conquest, e vai disputar toda a temporada.

Raphael Matos

Esse mineiro de Belo Horizonte tem uma trajetória diferenciada. Praticamente toda a sua carreira foi feita nos Estados Unidos, em categorias que pouca gente aqui já ouviu falar, como a Skip Barber Formula Dodge e a Star Mazda Series. Depois passou pela categoria de acesso da Champ Car (a outra metade da Indy durante o período de divisão entre IRL e Champ Car), pela A1GP (o falecido campeonato de monopostos disputado por equipes representando países) e até por corridas de endurance, como as 12 Horas de Sebring e a American Le Mans Series. Quando chegou à Indy Lights, em 2008, Raphael tratou de faturar o título. No ano passado, foi eleito o melhor novato da Indy. Ótima promessa, vai correr pela equipe Luczo Dragon / de Ferran, que tem como chefe o ex-piloto Gil de Ferran, bicampeão em 2000 e 2001.

Vitor Meira

Experiente, o piloto nascido em Brasília disputa a IRL desde 2003. Nunca venceu, mas já chegou pertinho do topo do pódio em diversas ocasiões – são oito segundos-lugares, incluindo dois no mitológico oval de Indianápolis. Infelizmente, foi nesse mesmo circuito que Vitor Meira sofreu um sério acidente no ano passado, junto com o compatriota Raphael Matos. Meira teve fraturas em duas vértebras e perdeu o resto da temporada. A corrida em São Paulo marca a sua volta, dessa vez pilotando para a equipe A. J. Foyt Enterprises.

Posts Relacionados

3 comentários :

Teté disse...

Oi Jean, falando em brazukas na Indy, veja o post que fiz no meu blog sobre a vitória de André Ribeiro no Rio em 1996... eu estava lá!!! Abração!
Obs: andei sumido dos comentários, mas estou lendo o blog sempre!

Anônimo disse...

saudade dos bons tempos da Indy (quando chamava Cart na era Emmerson, Al unser jr, mansel, e até Zanardi Montoya) depois acabaram com a indy, hoje só vejo a Nascar e torço para que o hélio castroneves um dia venha a correr lá.

Contato Venda Cursos disse...

Ei você têm um blog legal, Cansado de ganhar centavinhos com cliques?Me diga o que acharia de complementar sua receita facilmente com mais de R$ 400 mensais?
Nos visite se tiver interesse: http://vendacursosonline.blogspot.com/