Desfazendo Mitos - Parte 2

26/10/2010

Nesta segunda parte, derrubaremos o seguinte mito: Michael Schumacher só perdeu o título de 2006 pela quebra do motor em Suzuka.

Os admiradores e fãs do piloto alemão têm disseminado esta falácia para explicar de forma simples e cabal a perda do título para o prodígio espanhol. Fazem isso como se o fato de perder para o campeão mais jovem da história fosse algum demérito.

Para um espectador desatento, esta frase parece correta. Alonso e Schumacher chegaram empatados em pontos no Japão, palco da penúltima corrida da temporada. Na corrida, Massa largou na pole, seguido por Schumacher. Alonso foi apenas o quinto no grid. Em 14 voltas, o alemão liderava, seguido por Alonso. Faltando 16 voltas para o fim, o motor da Ferrari quebra e a vitória cai no colo do piloto espanhol.


Mas então, vejamos o que realmente aconteceu nesta ótima temporada, a última de Schumacher nas pistas.

A primeira metade da temporada foi dominada pela Renault, com 7 vitórias em 9 GPs, sendo 6 delas de Alonso. Além das vitórias, o espanhol conquistou ainda 3 segundos lugares, anotando 93% dos pontos possíveis. Schumacher conseguiu duas vitórias, 4 segundos lugares, um quinto, um sexto e um abandono por erro de pilotagem, anotando 66% dos pontos possíveis.

A segunda metade foi dominada pela Ferrari, com 7 vitórias em 9 GPs, sendo 5 delas de Schumacher. Além das vitórias, o alemão conquistou um terceiro, um quarto e um oitavo lugar, somando 69% dos pontos possíveis. Alonso conseguiu apenas uma vitória neste período, mas conquistou 4 segundos lugares e 2 quartos lugares, somando 55% dos pontos possíveis.

Nota-se, então, que Alonso aproveitou muito bem a metade do campeonato em que teve o melhor carro, ao contrário de Schumacher, que não obteve um bom aproveitamento quando teve o melhor carro.

Ora, então a vitória que falta para Schumacher é exatamente a do Japão!!! Será?

Considerando que o alemão não abandonasse no Japão, ele anotaria 80% dos pontos possíveis na segunda metade do campeonato, ainda muito abaixo dos impressionantes 93% de Alonso na primeira metade. Logo, não foi apenas pelo abandono no Japão que Schumacher perdeu este título.

Mesmo assim, alguns fãs mais ortodoxos (ou desinformados) dizem que Schumacher foi mais prejudicado durante a temporada, pois além de um motor estourado enquanto liderava, ficou estacionado atrás de Massa no reabastecimento do GP da Turquia, trocando uma vitória certa pelo terceiro lugar, atrás de Alonso.
O que estes fãs não lembram (ou preferem não lembrar) é que Alonso foi tão ou mais prejudicado que Schumacher ao longo da temporada. Duvida? Então vejamos.

Durante todo o ano, tanto Alonso quanto Schumacher abandonaram duas vezes. O alemão bateu sozinho na Austrália (andava em 6º) e teve um motor estourado no Japão (andava em 1º). O espanhol teve uma roda solta na Hungria (andava em 1º) e um motor estourado na Itália (andava em 3º). Vale lembrar que Alonso foi punido injustamente nos treinos do GP da Itália, por ter supostamente atrapalhado Massa em sua volta rápida (se alguém conseguir ver isto no vídeo, ganha um algodão doce). Tendo de largar em décimo, forçou seu carro ao máximo na busca dos pontos durante a corrida.


Em resumo, Schumacher perdeu 13 pontos, contra 16 perdidos pelo espanhol. Mas observem: Schumacher perdeu 10 pontos por falhas mecânicas, enquanto Alonso perdeu 16.

Por outro lado, Schumacher teve desempenho pífio em 4 corridas: Malásia (6º lugar), Austrália (bateu), Mônaco (5º lugar) e Hungria (8º lugar após a desclassificação de Kubica). Alonso teve desempenho fraco em apenas duas corridas: EUA (5º lugar) e Alemanha (5º lugar). Em resumo, enquanto Alonso levou 8 pontos em duas corridas, Schumacher precisou de 4 para somar a mesma quantidade.

Mas devemos lembrar das falhas das equipes!!!

Na Turquia, a Ferrari permitiu que Massa fizesse o pit-stop à frente de Schumacher, forçando o piloto alemão a esperar para fazer o reabastecimento. Com isso, Alonso tomou a segunda posição de Schumacher. Caso voltasse em segundo, é certo que Massa cederia a vitória para o companheiro de equipe. Portanto, Schumacher perdeu 4 pontos por culpa das estratégias da equipe.

Na China, Alonso dominava a prova sob chuva com pneus intermediários, mas em seu primeiro pit-stop a equipe francesa optou por trocar apenas os pneus dianteiros!!! Resultado: a vantagem de 20 segundos se transformou em uma desvantagem de 25 segundos em apenas 13 voltas, arruinando as chances de vitória de Alonso. Algo semelhante aconteceu com Raikkonen no GP da Inglaterra de 2008. De qualquer forma, o espanhol mostrou sua superioridade compensando a falha de estratégia da equipe com um ótimo 2º lugar.

Em suma: Schumacher perdeu 4 pontos por estratégias da equipe, enquanto Alonso perdeu 2, que poderiam ser mais caso não fosse um ótimo piloto.

Após estas considerações, façamos os cálculos:




É fácil observar que Alonso perdeu mais pontos que Schumacher. Além disso, Alonso perdeu 16 pontos por falhas mecânicas contra 10 de Schumacher. Ou seja, de forma alguma o piloto alemão foi mais prejudicado do que o espanhol durante a temporada!!!

Assim, a equipe F1 Critics derruba mais um mito, mostrando que não foi pelo motor estourado que Schumacher perdeu o campeonato de 2006, mas sim porque Alonso mostrou uma grande superioridade ao longo da temporada, aproveitando de forma excepcional o período em que teve o melhor carro do grid.

Amanhã o final da história sobre mitos.

fonte: F1 Critics

Posts Relacionados

0 comentários :