Patrocinadores Brasileiros na F1

25/10/2010

Bom a coluna post do leitor de hoje foi enviada pela leitora Ana Paula Soares de Cascavel PR.

Ano passado a Brawn GP teve no GP do Brasil, patrocínio da cerveja Itaipava, do TNT Energy Drink e Banco do Brasil será que este ano teremos alguma outra empresa brasileira?

Mas o Brasil teve outros patrocinadores ligados a F1.

Segue a lista:

Banco Nacional:

Patrocinador que teve a maior exposição de todos, por ter sido ligado a Ayrton Senna, desde os tempos de Lótus.

Banco Safra:

O maior banco de investimentos do Brasil, patrocinou o piloto Ricardo Rosset nas temporadas de 1997 na Lola e 1998 na Tyrrel.

Petrobrás:

A Estatal brasileira do Petróleo, esteve ligada a Williams F1 de 1998-2008, forneceu combustivel e patrocinou a equipe. Existe também a possibilidade da Petrobrás retornar a F1 em 2010, esperaremos.

Banespa:

O Banco do Estado de São Paulo, esteve ligado a Christian Fittipaldi nos anos 90, mas não foi só esse patrocinador que esteve junto com Christian, as linguiças Chapecó, os refrescos Tang, a Gradiente e a IBF também.

Café do Brasil:

Um dos primeiros patrocinadores brasileiros ligados a F1, o Café do Brasil patrocinava Emerson Fittipaldi na Lóntus e Mclaren e depois na Copersucar Fittipaldi, patrocinou também José Carlos Pace.

Brahma:


A Brahma esteve ligada nos anos 70 ao "Moco" José Carlos Pace.

Arisco:

A Arisco esteve ligada a Rubens Barrichello desde o fim dos anos 80, o levou a Formula Opel e Formula 3 Inglesa, depois o patrocinou na Jordan.

Depois de patrocinar a Jordan, a Arisco rumou em 1995 para a Forti Corsi para patrocinar o brasileiro Pedro Diniz, junto com a Arisco ainda tivemos a Kaiser, Sadia e o Unibanco.

Perdigão:

A Perdigão esteve diretamente ligada ao brasileiro Mauricio Gugelmin, patrocinando ele na Lleyton House de 1988-91.

Copersucar:

Estatal brasileira, talvez seja a mais importante das empresas brasileiras a patrocinar a F1, tanto que a equipe Fittipaldi entre 75-79 era conhecida como Copersucar.

Brastemp:

Ligada a Nelson Piquet nos anos 70, a Brastemp acompanhou Pedro Paulo Diniz nos anos 90, primeiro na Arrows, depois Sauber e também na Prost.

Skol:

A cervejaria Skol também esteve lá em 1980-81 patrocinando a Fittipaldi, foi responsável por manter o sonho "quixotesco" dos irmãos Fittipaldi por mais 2 anos.

Existem mais alguns que me lembro estarem patrocinando mas como o post é da nossa leitora é ela quem manda, mas segue mais alguns patrocinadores que eu me recordo como por exemplo a Churrascaria "Fogo de Chão" que patrocinou a Andrea Moda em 1992 em troca de almoço para os mecânicos, me lembro da "UNICOR" que exibiu sua marca no capacete de Ukyo Katayama se eu não me engano em 1995. Além disso a Rádio Bandeirantes também chegou a patrocinar Rubinho em 1995 também. Rádio Jovem Pan, Vale lembrar também que Wilsinho Fittipaldi foi patrocinado na Brabham em 1972-73 pelo Café Cacique e pelos Freios Vargas. Teve também a Caloi

Posts Relacionados

3 comentários :

INFORROCK disse...

Jean, a SKOL (saúde) na verdade é dinamarquesa, mas obviamente licenciada para a Ambev... e TUDO À VER: 1 brasileiro e 1 finlândes à bordo. Tem mktg melhor? (só se fosse o kimi)
------
Os Rosset, judeus, donos da Valiseire, etc...(Lycra), então o Safrinha begou daqui bra dirar de lá... porquê a rodada dele em Mõnaco foi o maior vexame que vi de um brasileiro...
-------
Coloca ai o filme do Gugelmin: Is It Perdigão? então manda! com um mecãnico da march, muito legal.

Marcelo Sabsud disse...

Bom trabalho Ana!

Anônimo disse...

Teve também a Cerveja Itaipava
(Cervejaria Petrópolis) que patrocinou a Brawn no GP Brasil

Gabriel Ponã