Antes de ser o chefe comercial da Fórmula 1, Bernie Ecclestone tentou a carreira como piloto, foi dono de equipe e atualmente é considerado o "ditador" da categoria. E ele não se envergonha disso. Nem poderia, depois de elogiar Adolf Hitler publicamente. Bilionário e octogenário, Bernie sempre arruma um motivo para ser manchete. Por isso, continua colecionando causos como os listados a seguir.

Ofereceu as filhas para Vettel

Bernie Ecclestone teve duas filhas em seu casamento de 24 anos com a ex-modelo Slavica Radic: Tamara, de 26 anos, e Petra, de 22. As duas já estão comprometidas e moram junto com seus homens em residências de luxo bancadas por Bernie na Inglaterra. Mas ele parece não se importar muito com isso, e admitiu que preferia ter o campeão da Fórmula 1, Sebastian Vettel, como seu genro. O piloto também tem namorada, mas Ecclestone disse que não se importaria com um "troca-troca" e até sugeriu: "Ele deveria fazer uma tentativa e pedir uma delas em namoro".


Posou com olho roxo para anúncio

Como bom homem de negócios, Bernie Ecclestone mostrou que sabe aproveitar qualquer tipo de situação para faturar. Até mesmo quando foi assaltado e ficou com a cara cheia de hematomas após apanhar de ladrões em Londres, o chefe da Fórmula 1 encontrou uma maneira de tirar proveito. Para recuperar o prejuízo de R$ 500 mil em joias, ele aceitou ser o garoto-propaganda para a marca relógios Hublot, que patrocina a Fórmula 1. Como ele usava um exemplar da marca durante o assalto, se deixou ser fotografado com o rosto estourado, ao lado do slogan: "Veja o que as pessoas fazem por um Hublot".

Elogiou Hitler e defendeu as ditaduras

"Apesar de parecer terrível, suponho, o fato de Hitler ter convencido pessoas a fazer o que queriam ou não, ele era capaz de fazer as coisas acontecerem", disse Ecclestone em uma entrevista que gerou reações negativas entre a comunidade judia. Meses mais tarde, ele se retratou, mas não escondeu a sua afeição pelo totalitarismo: "Fui mal-interpretado e tive muitos problemas quando disse aquilo, mas eu não acho que a democracia é o caminho para governar qualquer coisa. Seja em uma companhia ou em qualquer outra coisa, você vai precisar de alguém para acender e apagar as luzes".

BERNIE DIZ QUE OLIMPÍADA É 'NONSENSE'

Mostrou o dedo para o pessoal da Red Bull

Logo antes de completar 80 anos em outubro do ano passado, Bernie ganhou uma homenagem bem-humorada da Red Bull. Os pilotos Sebastian Vettel e Mark Webber, além do chefe de equipe Christian Horner, receberam o chefe da F-1 e o presentearam com um andador personalizado. O equipamento foi feito sob medida, e incluiu um volante com os comandos de 'chá', 'limitador de dinheiro', 'enfermeira' e até 'viagra'. Ecclestone agradeceu, mas bem à sua maneira.

Pagou R$ 1,5 bilhão pelo divórcio

Dono de uma fortuna estimada em torno de R$ 7 bilhões, Bernie Ecclestone teve que deixar boa parte desse dinheiro com a ex-mulher Slavica Radic, 28 anos mais nova que ele, mãe de suas filhas Tamara e Petra. O casamento acabou em 2009 depois de 24 anos, e o chefe da F-1 precisou contratar um bom advogado para não precisar seguir à risca a lei britânica, que prevê a partilha total dos bens. Em vez da metade de sua fortuna, ele pagou "apenas" 670 milhões de euros, o equivalente a R$ 1,5 bilhão. Depois, ainda admitiu que "gostaria muito de voltar com Slavica", mesmo estando ao lado da brasileira Fabiana Flosi.

Posts Relacionados

0 comentários :