1974 - Emerson Fittipaldi

06/04/2011

Sem Jackie Stewart, aposentado, a Tyrrell apostou no sul-africano Jody Scheckter na temporada 1974 de Fórmula 1. Ele foi bem e ajudou a protagonizar uma das maiores disputas da história do campeonato.

três pilotos chegaram à última prova do ano com chances de ser campeão. Sendo que o brasileiro Emerson Fittipaldi – que se mudara para a McLaren – e o suíço Clay Regazzoni, da Ferrari, estavam com o mesmo número de pontos.

Com problemas no sistema de combustível, Scheckter abandonou o GP dos Estados Unidos há quinze voltas do final. Enquanto Fittipaldi terminou a corrida na quarta posição e viu Regazzoni amargar o décimo primeiro lugar.

Somando três pontos, o piloto brasileiro sagrou-se bicampeão mundial em uma temporada na qual a Ferrari se destacou pela veloz dupla formada por Clay Regazzoni e Niki Lauda.

Porém, mais uma vez o campeonato teve mortes. Peter Revson perdeu a vida em um treino para o GP da África do Sul. Enquanto o austríaco Helmutd Koinigg faleceu na última prova da temporada.


A Temporada de Fórmula 1 de 1974 foi a 25ª realizada pela FIA. Teve como campeão o brasileiro Emerson Fittipaldi, da equipe McLaren.


 

O campeonato começou com uma vitória do piloto neozelandês Denny Hulme em McLaren. A Ferrari, que finalmente dava sinais de querer sair do período negro que atravessou nos dois anos anteriores, consegue o segundo e terceiro lugar através da nova dupla de pilotos, Niki Lauda (austríaco) e Clay Regazzoni (suíço). No GP do Brasil, a McLaren volta a vencer, desta feita é Emerson Fittipaldi que vence o GP do seu país. O piloto argentino, Carlos Reutmann, vence o GP da Africa do Sul com o Brabham. Niki Lauda (Ferrari) vence o seu primeiro GP na Formula 1 no GP da Espanha, sendo secundado pelo seu colega Regazzoni


A Ferrari já não vencia desde o GP da Alemanha de 1972. Emerson Fittipaldi (McLaren) regressa às vitórias no GP da Bélgica. O rapidíssimo sueco Ronnie Peterson dá à Lotus a sua primeira vitória do ano no GP do Mónaco. Jody Scheckter (sul-africano) vence o seu primeiro GP da carreira na Suécia com um Tyrrell. No GP da Holanda, Lauda (Ferrari) consegue a sua segunda vitória do ano e da carreira. Nos GP da França e da Grã-Bretanha, vitórias para R. Peterson (Lotus) e J. Scheckter (Tyrrell), respectivamente. Emerson Fittipaldi (McLaren) fica em segundo lugar na Grã-Bretanha. No GP da Alemanha, Clay Regazzoni (Ferrari) obtêm aquela que foi a sua única vitória neste ano.



Estavam então decorridos onze GP, faltavam quatro para o final do campeonato. A classificação era a seguinte: 1º Regazzoni com 44 pontos, 2º Scheckter com 41 pontos, 3º Lauda com 38 pontos e 4º Fittipaldi com 37 pontos. Nos construtores: 1º Ferrari com 57 pontos, 2º McLaren com 49 pontos e 3º Tyrrell com 44 pontos.


No GP da Áustria, Carlos Reutmann (Brabham) vence e dos quatro primeiros classificados do campeonato apenas Regazzoni pontua, termina a prova em quinto lugar. Na Itália, R. Peterson (Lotus) consegue a sua terceira vitória do ano e Fittipaldi (McLaren) é segundo classificado. No GP do Canadá Fittipaldi dá um passo decisivo em direcção ao título, que ao vencer a prova canadiana iguala Regazzoni no campeonato. À partida para a última prova do ano, o GP dos EUA, ainda havia três pilotos com aspirações ao título: Fittipaldi (52 pontos), Regazzoni (52 pontos) e Scheckter (45 pontos).


  
O vencedor da prova foi Reutmann (Brabham) e o título foi conquistado por Emerson Fittipaldi que termina em quarto lugar. Nem Regazzoni nem Scheckter conseguem pontuar. Fittipaldi é campeão com 55 pontos (3 vitórias), o segundo foi Regazzoni com 52 pontos (1 vitória) e o terceiro foi Scheckter com 45 pontos (2 vitórias). A McLaren que nunca tinha conseguido vencer nenhum dos títulos (pilotos e construtores) vence também o de construtores com 73 pontos (4 vitórias) e a Ferrari fica em segundo lugar com 65 pontos (3 vitórias). A Ferrari recuperou a forma neste ano e poderia ter vencido o campeonato de pilotos através de Regazzoni se tivessem efectuado algum tipo de jogo de equipa. Niki Lauda (Ferrari) igualou o record de 9 pole-postion numa época que Ronnie Peterson conseguiu em 1973 precisamente com este Lotus 72E.

Provas extra campeonato


Sistema de pontuação – F1 1974
  • 1º lugar – 9 pontos
  • 2º lugar – 6 pontos
  • 3º lugar – 4 pontos
  • 4º lugar – 3 pontos
  • 5º lugar – 2 pontos
  • 6° lugar – 1 ponto
Contavam apenas os sete melhores resultados das oito primeiras corridas e os seis melhores das sete últimas.

  

Posts Relacionados

0 comentários :