Qualificações e gestão de pneus o "x" da questão

23/05/2011

Com os novos pneus na F1 e com muito mais possibilidades de ultrapassar e galgar terreno por entre o pelotão a qualificação perdeu muita da sua importancia e poupar pneus para a corrida comprometendo alguns lugares na qualificação afigura-se para alguns cada vez mais uma estratégia válida e que paga bem em termos de pontos.

Com o evoluir do campeonato, temos visto a forma como a qualificação perdeu importancia e ganhou muitas manhas. O fato da estratégia de pneus ter ganho substancial importancia na corrida aliado ao trio de regras que limita o numero de pneus disponiveis para cada piloto durante o Fim de Semana, a regra que obriga a usar os dois compostos na corrida e a regra que obriga os 10 primeiros a largarem com o composto da melhor volta de Sabado tem levado a muitas atitudes sui-géneris nos Sábados desta temporada de F1.

Para começar, o fato de os dez primeiros terem de largar com o composto da melhor volta de Sábado (sempre o macio é claro) aliado à obrigatoriedade de usarem os dois compostos na corrida, leva a que todos aqueles que estão piores que o 5º/6º lugar fiquem prejudicados face a quem está entre o 11º e o 15º lugar. Isso acontece porque no primeiro stint onde o pelotão está muito compacto todos os 10 primeiros têm de usar composto macio perdendo um jogo dos pneus mais favoráveis num stint muito congestionado em que têm o andamento condicionado por um pelotão ainda muito compacto. De contrário aqueles que ficaram pela Q2 alem de terem mais pneus para Domingo, podem usar no primeiro e muito congestionado stint os pneus duros, tendo só de ir segurando com os pneus mais lentos/desfavoráveis o andamento daqueles que estão nas posições imediatamente à frente tambem eles condicionados mas com macios.

Depois estes que puderam usar duros no 1º stint podem fazer o resto da corrida só em macios sempre a fundo pois já usaram os duros no stint mais favorável (o 1º) onde há pouco espaço para espremer todo o carro enquanto que os 10 primeiros da grelha terão de fazer um stint em duros que nunca poderá ser o primeiro. Terá sim de ser um stint em que supostamente já terão mais pista livre na frente para explorar os seus carros naturalmente mais competitivos, fruto da desagregação do pelotão e isso como é evidente prejudica-os.

Posto isto começam-se a ver estratégias menos inocentes nas qualificações e sugiro inclusive que o inédito sexto lugar de Schumacher em Espanha face a Rosberg tenha sido obtido à custa de mais pneus disponiveis pois Schumacher não fez qualquer volta na Q3 ao contrário de Rosberg. O próprio 12º lugar de Petrov após sair de sexto não é inocente tendo em conta a competitividade mediana do Renault nas ultimas corridas. O Russo ficou claramente prejudicado face aos melhores colocados fora do Top 10 pela menor liberdade de estratégia que teve face a estes (1º stint obrigatóriamente em macios) e pelo maior numero de pneus que teve de gastar no Sábado ao qualificar-se e participar na Q3. Até o Heidfeld pode muito bem ter-se valido do seu fogo no P3 para ter a desculpa ideal para não alinhar na qualificação e guardar todos os pneus para a corrida sem levantar quaisquer suspeitas de manhosice. Falando de Heidfeld, analise-se as possibilidades de corrida do Alemão da Renault que foi 8º em Espanha colado aos Mercedes após ter largado do ultimo lugar na grelha.

Renault e Mercedes com os carros relativamente competitivos que têm mas que não lhes permitem lutar pelos primeiros lugares podem perfeitamente apostar com um dos seus carros na seguinte estratégia para a Qualificação. Usar apenas um composto duro que para eles é mais que suficiente para garantir o apuramento da Q1 para a Q2 e alinhar na Q2 com esse mesmo composto duro usado na Q1 ou com mais um composto duro novo, tentanto ir buscar a melhor posição possivel com esses pneus (imaginemos que um 14º lugar). Depois fazem uma corrida como a que fez Heidfeld ontem em Espanha sempre ao ataque e com os melhores pneus nas melhores alturas, mantendo-os sempre frescos o que é possivel por terem pneus de sobra mas ainda tendo a vantagem de estarem a largar 10 lugares mais à frente do que Heidfeld largou em Espanha, tendo gasto apenas um/dois jogos do composto mais desfavorável no Sábado.

Ora se a poupança de pneus no Sábado pagou a Heidfeld um 8º lugar em Espanha colado ao sexto classificado, tendo largado de ultimo imagine-se o que o Alemão, Petrov ou um dos Mercedes poderia fazer se optasse por uma estratégia de Qualificação como a que eu descrevi no final do ultimo parágrafo e por uma estratégia de corrida identica à de Heidfeld em Espanha. Penso que a FIA terá de fazer qualquer coisa pois não tardará muito a vermos carros competitivos em posições secundárias nas grelhas e carros fracos muito bem classificados nas mesmas apenas por estratégia que culminará em muitos protestos após as corridas por parte daqueles que ficaram bem qualificados no Sábado mas que se viram muito mais atados nas estratégias para a corrida.

Posts Relacionados

0 comentários :