Entre Verdades e Mentiras

01/06/2011

O ex-piloto italiano, Andrea de Cesaris, carrega um recorde nas suas 15 temporadas de Fórmula 1 (de 1980 até 1994): maior números de corridas sem nunca ter vencido.

Mas nem sempre foi assim. Andrea teve uma carreira recheada de bons resultados antes de ingressar na categoria máxima, motivados, é verdade, pelo dinheiro de sua família e da Marlboro. A marca de cigarros o acompanhou na Alfa Romeo e na equipe McLaren.

Em 1981, a McLaren passava por profundas mudanças, com a chegada de Ron Dennis. Os pilotos eram John Watson e de Cesaris. Enquanto o primeiro venceu uma prova na temporada e marcou 18 pontos, Andrea conseguiu apenas um, em 14 corridas disputadas.

Apenas no Grande Prêmio da Holanda, o piloto ficou de fora, por causa da seguinte batida durante os treinos:

Durante os treinos para o Grande Prêmio da Holanda…

Muito questionado, de Cesaris falou sobre o acontecido:

“Eu sei exatamente o que aconteceu. No final da reta eu coloquei meu pé sobre o pedal do freio, e num primeiro momento os freios estavam OK. Em seguida, o pedal afundou. Na minha opinião, eu não tive qualquer frenagem a partir desse instante. Mas algumas pessoas me disseram - e eu tenho fotografias que mostram a mesma coisa - que os freios traseiros estavam travados, então tenho que aceitar que os freios traseiros funcionavam. Porém, em qualquer carro de corrida, os freios traseiros correspondem por uma pequena quantidade do trabalho. E quando olhamos para os pneus da frente, eles não estavam travados, o que sugere que os freios dianteiros não estavam funcionando.”

de Cesaris perdeu o controle da Mclaren e acertou os pneus

“Eu sei que o acidente em Zandvoort não foi culpa minha. Várias pessoas disseram que eu freiei muito tarde na curva, mas se eu tivesse errado - e eu admito que às vezes cometo erros, como qualquer outra pessoa - não teria perdido o ponto de frenagem completamente. Nessa velocidade, você não escolheria ir de frente como eu fui: você iria girar o carro. Eu não culpo a minha equipe, porque eles fizeram o melhor que podiam. Só não aceito quando as pessoas dizem que a culpa foi minha. Se eles não querem acreditar, essa é a sua escolha. Mas eu estou dizendo a verdade.”

“Sei que algumas pessoas acreditam que eu sofro acidentes porque não sou bom o suficiente, mas sei também, que este não é o verdadeiro Andrea, não é o cara que estava dirigindo 100% na Fórmula 3 ou no ano passado. Quero me livrar desta imagem e mostrar para todas as pessoas que não sou um 'crasher'.”

Foram mais de vinte carros da McLaren destruídos. Desse modo, era impossível renovar o contrato do italiano, que voltou para a Alfa Romeo.

Com o passar dos anos, Andrea se tornou um piloto consistente, conseguindo bons resultados e pódios. Apesar da reviravolta, a vitória não aconteceu.

fonte:blogsportf1

Posts Relacionados

2 comentários :

contact disse...

Parabéns pelo post...

Conheça o novo agregador de links www.surpriselink.com/Inicial em dois idiomas (português e inglês), para atrair visitantes nacionais e internacionais, nele você pode enviar links com imagem e sem imagem, enviar até 6 links por dia com liberação imediata além de widget customizados para seu site/blog.

Thiago Lobato disse...

o Barrichello tb é assim. ele tem mais corridas que nao terminou do que terminadas.