Tem Sebastian Vettel o título de 2011 na mão?

07/07/2011

Ainda falta percorrer muito caminho na temporada 2011 do Mundial de Fórmula 1, mas há algo que parece cada vez mais óbvio: Sebastian Vettel é o mais forte candidato à obtenção do título mundial.
Ainda que as estáticas tenham a importância relativa que merecem, a diferença de 77 pontos de Vettel para os seus mais diretos perseguidores, Jenson Button e Mark Webber, significa que para o alemão perder o seu segundo título de campeão do mundo de F1 teria de ser protagonizada uma das maiores reviravoltas de sempre. 

Com efeito, apenas no historial da Fórmula 1 existiu uma reviravolta maior no Mundial de F1, sendo necessário retroceder a 1976 então com Niki Lauda e James Hunt na contenda pelo cetro para observar o favorito a ser ultrapassado mesmo na reta final. Fazendo a conversão das pontuações da época para as atuais, o austríaco Niki Lauda chegou a dispor de 35 pontos de vantagem - 97 com as classificações atuais - sobre o britânico da McLaren. No final, seria este a festejar a conquista do título após uma corrida caótica disputada sob chuva intensa em Monte Fuji, no Japão.

Contudo, para esse desfecho, foi essencial o violento acidente de Lauda, que em Nürburgring sofreu intensas queimadoras no seu corpo, tendo mesmo chegado a receber a extrema-unção de um padre. Contra todas as expectativas, não só Lauda sobreviveu, como regressou à competição semanas mais tarde, disposto a conquistar o seu segundo título mundial. Uma série de vitórias de Hunt na sua ausência e a recusa em continuar a competir no GP do Japão decisivo em Fuji, cujo início teve lugar debaixo de chuva intensa, possibilitaram a Hunt ficar com o número 1.

Outra recuperação com contornos de 'Missão: Impossível' foi a efetuada por Kimi Raikkonen em 2007, com o piloto finlandês da Ferrari a superar uma desvantagem de 26 pontos - 65 à escala atual - para bater Lewis Hamilton na última corrida e sagrar-se campeão.

Vettel com início de sonho

Dificilmente Vettel poderia acreditar num início de temporada mais auspicioso. Ainda com a conquista do Mundial de 2010 na sua memória, o alemão conseguiu este ano já vencer seis corridas, o que aliando a dois segundos lugares, possibilitam contar 186 pontos, mais 77 do que Button e Webber.

A prestação de Vettel neste ano é ainda sublinhada pela sua prestação excecional em qualificação, obtendo sete pole position e apenas 'deixando' uma para o seu companheiro de equipa em Espanha. Comparativamente, no ano passado e por esta altura do campeonato, Vettel tinha 90 pontos e estava envolvido numa das mais interessantes e intensas batalhas pelo título dos últimos anos com mais quatro pilotos.

Este ano, das 11 corridas que faltam basta dizer que Vettel poderia falhar três provas e continuar na liderança do Mundial e, mais evidente ainda, que se terminasse em segundo nas provas que faltam continuaria a ser o campeão do mundo de 2011.  

É certo que ainda faltam muitas corridas e que muita coisa pode acontecer, da mesma forma que dificilmente Vettel deverá acabar todas as corridas no pódio, mas o que é certo é que o piloto da Red Bull tem este título na mão e, à entrada do GP da Grã-Bretanha, perder o comando do Mundial até ao final do ano seria mais por seu culpa própria do que por excelência súbita dos seus adversários. Com ou sem alterações de regras de escapes.

Posts Relacionados

1 comentários :

TW disse...

não creio que ele perca mais o título esse ano! a diferença é absurda e ele tem um carro fantástico nas mãos! seria ilógico!