Pedro Matos Chaves tinha contrato assinado com a March para continuar na F1 em 1992 -
A atribulada passagem pela Fórmula 1 com a Coloni marcou indelevelmente a carreira de Matos Chaves. Com um plantel sobrelotado onde 34 pilotos tentavam aceder aos 26 lugares em cada grelha, o piloto do Porto sofreu as agruras de uma época ultra competitiva integrado numa uma equipa débil.

"Se fosse hoje voltava a fazer tudo outra vez porque quem ganha a F3000 quer obviamente ir para a F1", refere. "Na altura existiam muitos pilotos que estavam na F1 há muito tempo e pilotos como eu ou o Gabriele Tarquini não tínhamos alternativa senão entrar por uma equipa como a Coloni. Mas no ano seguinte tive um contrato assinado com a Leyton House/March que só não foi cumprido porque eles exigiam dois milhões de dólares e eu só consegui arranjar um milhão no prazo estipulado. O (Karl) Wendlinger ficou com o lugar mas penso que esse momento podia ter transformado a minha carreira".

fonte: autosport.pt

Posts Relacionados

1 comentários :

Anônimo disse...

O meu e-mail é esse mesmo. mspykerinter@hotmail.com
É que eu fiz o e-mail antes de criar o meu blog.
Marcelo Necro do blog Scuderia Ferreira BMF