Confira o destino de desempregados da Fórmula 1

12/03/2012

A temporada de 2011 da Fórmula 1 acabou, e muita gente perdeu o posto de titular que tinha - Vitaly Petrov, Nick Heidfeld e Jaime Alguersuari, entre outros. No entanto, é bem provável que os desempregados ou aposentados da F1 continuarão próximos do automobilismo. Confira o que fizeram os pilotos que deixaram a categoria nos últimos anos:  Foto: Getty Images
A temporada de 2012 da Fórmula 1 inicia neste final de semana, e muita gente perdeu o posto de titular que tinha - Vitaly Petrov, Nick Heidfeld e Jaime Alguersuari, Rubens Barrichello, entre outros. No entanto, é bem provável que os desempregados ou aposentados da F1 continuarão próximos do automobilismo. Confira o que fizeram os pilotos que deixaram a categoria nos últimos anos:

Rubens BARRICHELLO (BRA)
O piloto com maior número de GPs disputados e com maior número de temporadas da F1 acabou ficando sem carro ao final da temporada de 2011 e acabou indo para a Formula Indy disputar a temporada de 2012.

Christijan ALBERS (HOL)
Depois de fazer sucesso na DTM e de correr por Minardi (2005), Midland (2006) e Spyker (2007) na Fórmula 1, o holandês voltou a se arriscar nos carros de turismo, mas sem se dar tão bem; passou de novo pela DTM (2008) e pela Le Mans Series (2008 e 2009), sem brilhar.

Luca BADOER (ITA)
O italiano não brilhou na Fórmula 1 durante a década de 90, mas ganhou a chance de substituir o machucado Felipe Massa na Ferrari em 2009 - e foi um retumbante fracasso; desde então, deixou o posto de piloto de testes da equipe italiana e se aposentou.

Zsolt BAUMGARTNER (HUN)
Único piloto húngaro da história da Fórmula 1, com passagens por Jordan (2003) e Minardi (2004), Baumgartner (à direita) passou mais tarde pela Fórmula Indy, correndo pela Minardi USA do australiano Paul Stoddart (à esquerda) em 2007; no ano seguinte, 2008, atuou pela Fórmula Superliga como piloto do Tottenham-ING.

Sebastien BOURDAIS (FRA)
Campeão da Fórmula 3000 (2002) e tetracampeão da ChampCar (2004 a 2007), o francês que pilota de óculos ganhou a chance de guiar pela Toro Rosso em 2008 e 2009, quando foi substituído por Jaime Alguersuari; sem corresponder, passou a se dividir entre a Le Mans Series (2009 a 2011), a Fórmula Superliga (2009 e 2010) e o Campeonato Internacional de V8 (2010 e 2011). No ano passado, retornou aos Estados Unidos e disputou etapas da Fórmula Indy.

Gianmaria BRUNI (ITA)
Reserva da Minardi em 2003 e titular do time em 2004, o italiano durou pouco na Fórmula 1; após ser "rebaixado" para a GP2, onde correu em 2005 e 2006, Bruni passou a correr na Le Mans Series desde então - e chegou inclusive a vencer as 24 Horas de Le Mans em 2008, ao lado do finlandês Mika Salo e do brasileiro Jaime Melo Júnior


Luciano BURTI (BRA)
Depois de correr pela Jaguar em 2000 e 2001 e pela Prost em 2001, Burti passou pela Ferrari como piloto de testes em 2004; de volta ao Brasil em 2005, dividiu-se entre a Stock Car, a Itaipava GT Brasil e os microfones - ele é comentarista de Fórmula 1 na TV.

David COULTHARD (GBR)
Apesar de ter deixado a Fórmula 1 no fim de 2009, o escocês segue próximo da Red Bull, seu último time, atuando como uma espécie de conselheiro; além disso, mantém a forma em exibições pela equipe e correndo pela DTM, onde defende a Mücke Motorsport. Também trabalhou como comentarista de F1 na emissora estatal do Reino Unido BBC e mantém um blog no site do jornal do mesmo país, Daily Telegraph.

Cristiano DA MATTA (BRA)
Campeão da Fórmula Indy em 2002, o mineiro ganhou vaga na Toyota em 2003, mas deixou a equipe no ano seguinte. De volta à Indy em 2005, sofreu um grave acidente durante treinos com a RuSport em 2006, ao atropelar um animal na pista. Após longa recuperação, voltou às pistas em 2008, pela Grand-Am. Desde então, passou pela Fórmula Truck (2009 e 2010) e pela Le Mans Series (2011).

Anthony DAVIDSON (GBR)
O britânico era destaque da BAR como piloto de testes, mas teve uma passagem apagada pela Super Aguri (2007 e 2008); piloto de testes da Brawn GP em 2009, passou pela Le Mans Series entre 2009 e 2011, quando voltou à F1 como piloto de testes da Mercedes. Desde 2009, trabalha também como comentarista da BBC Radio 5 Live, na Inglaterra.

Lucas DI GRASSI (BRA)
Piloto de testes da Renault entre 2005 e 2009, e titular da Virgin em 2010, Lucas di Grassi passou todo o ano de 2011 testando pneus para a Pirelli; além disso, até se arriscou como comentarista de TV no último ano.

Robert DOORNBOS (HOL)
Com passagens por Jordan (2004 e 2005), Minardi (2005) e Red Bull (2006 e 2007), o holandês passou com bons resultados pela Fórmula Indy (2007), pela Fórmula Superliga (2008) e pela extinta A1GP (2008/2009); voltou à Indy em 2010, com fracos desempenhos pela Newman-Haas, e correu pela Fórmula Superliga pelo Corinthians no mesmo ano - em 2011, foi prejudicado pelo cancelamento da categoria e passou boa parte do ano longe dos holofotes.

Ralph FIRMAN (IRL)
Depois de correr pela Jordan em 2003, o discreto Ralph Firman disputou as 24 Horas de Le Mans em 2004 sem se destacar; entre 2005 e 2008, esteve com a equipe que disputou a A1GP pela Irlanda, e teve um momento de brilho no Japão, onde foi campeão com carros de turismo na Super GT 500 em 2007 com o japonês Daisuke Ito.

Heinz-Harald FRENTZEN (ALE)
Vice-campeão mundial em 1997 e com experiência por Sauber, Williams, Jordan, Arrows e Prost, Frentzen passou a correr pela DTM, na qual ficou entre 2004 e 2006; disputou também das 24 Horas de Le Mans (2008), antes de passar por diversas categorias de turismo - a última delas, na Ásia, é a pouco conhecida i1 SuperSeries, que será disputada em 2012.

Patrick FRIESACHER (AUT)
Piloto da Minardi durante parte do ano de 2005, Friesacher defendeu a Áustria em uma etapa da A1GP na temporada 2005/2006; em 2008, assinou contrato para disputar a Le Mans Series, disputando apenas algumas provas e sumindo do radar desde então.

Marc GENÉ (ESP)
Depois de passar por Minardi (1999 e 2000) e de trabalhar como piloto de testes de Williams (2001 a 2003) e Ferrari (2004 a 2010), o espanhol passou a se dedicar à Le Mans Series, onde já corria desde 2007 e onde alcançou bons resultados: foi vice-campeão das 24 Horas de Le Mans em 2008 e faturou o título da tradicional prova no ano seguinte.

Yuji IDE (JAP)
O japonês disputou apenas quatro provas pela Super Aguri em 2006, mas foi mais do que suficiente para colocar seu nome entre os piores da história recente da F1; depois de dispensado, voltou à Fórmula Nippon (2006 a 2008), da qual foi vice-campeão em 2005, e correu pela Super GT (2006 a 2010).

Eddie IRVINE (GBR)
Aposentado das corridas em 2002, quando deixou a Jaguar, o norte-irlandês tem vivido bem: apareceu em filme, abriu empresas, apareceu em programas de TV, desfiles de moda... Pergunte a ele se quer voltar à F1!.

Nicolas KIESA (DIN)
Titular da Minardi em 2003 e reserva da Jordan em 2005, Nicolas Kiesa correu três provas da DTM em 2006, sem brilhar; desde então, porém, as vagas nas categorias de turismo europeias se tornaram escassas, e Kiesa também desapareceu do radar do automobilismo.

Christian KLIEN (AUT)
Correu por Jaguar (2004), Red Bull (2005 e 2006) e Hispania (2010); nos últimos anos, sem vagas na Fórmula 1, tem passado um bom tempo na Le Mans Series, onde correu em 2008, 2009 e 2011.

Allan McNISH (GBR)
Titular da Toyota em 2002 e reserva da Renault em 2003, McNish chegou a trabalhar como comentarista de TV na Inglaterra por algum tempo; depois disso, competiu nas 12 Horas de Sebring (foi campeão em 2004, 2006 e 2009) e na DTM, aparecendo eventualmente na F1 em 2011 como comissário.

Franck MONTAGNY (FRA)
O francês (centro) se destacou testando por Renault e Jordan (2004 e 2005), mas as chances na Super Aguri não deram a ele brilho na F1; depois, passou pela Toyota como piloto de testes (2007), pela A1GP (2007/2008), pela Fórmula Indy (2008 e 2009) e pela Le Mans Series. Na categoria de turismo, passou a correr ao lado de dois que brilharam na extinta Fórmula 3000: os compatriotas Stéphane Sarrazin (ex-Minardi) e Nicolas Minassian, seus colegas desde 2009.

Tiago MONTEIRO (POR)
Titular de Jordan (2005) e da Midland/Spyker (2006), o português corre desde então no WTCC; depois de se casar em 2008 e de ter seus dois primeiros filhos, correu duas provas pelo Campeonato de V8 em 2010.

Juan Pablo MONTOYA (COL)
Depois de correr pela Williams e pela McLaren, e de deixar o time de Ron Dennis em 2006, o arrojado colombiano passou a disputar categorias da Nascar, onde ainda está, e não demorou a se destacar; nos carros de turismo dos Estados Unidos, conquistou duas vezes o título das 24 Horas de Daytona (2007 e 2008).

Kazuki NAKAJIMA (JAP)
O simpático filho de Satoru Nakajima atuou pela Williams entre 2007 e 2009, e não impressionou; depois de passar 2010 sem competir, o japonês retornou ao Japão, onde competiu na Fórmula Nippon e na Super GT 500 - foi vice-campeão na primeira, de monopostos, e figurante na segunda, de carros de turismo.

Olivier PANIS (FRA)
Titular entre 1994 e 2004 (ausente apenas em 2000), e reserva em 2005 pela Toyota, Panis anunciou em 2006 que não voltaria a correr de Fórmula 1; voltou ao automobilismo em 2008, passando pela FIA GT1 em 2010 e correndo pela equipe Oreca na Le Mans Series durante os últimos quatro anos.

Giorgio PANTANO (ITA)
Depois de defender a Jordan em 2004, o italiano peregrinou com algum sucesso por Fórmula Indy (2005), GP2 (2005 a 2008), Fórmula Superliga (2009, pelo Milan) e pela pouco conhecida AutoGP (2010), antes de disputar as últimas provas da Indy em 2011 pela Dreyer & Reinbold; é um raro caso de piloto que não correu por carros de turismo após deixar a F1.

Nelsinho PIQUET (BRA)
Titular da Renault entre 2008 e 2009, deixou a Fórmula 1 após denúncias envolvendo seu acidente no GP de Cingapura de 2008; desde 2010, disputa a Truck Series, divisão de picapes da Nascar, dividindo seu tempo ainda com outras categorias de carros de turismo dos Estados Unidos.

Antonio PIZZONIA (BRA)
Titular da Jaguar nas primeiras provas de 2003, e eventual corredor da Williams em 2004 e 2005, o amazonense passou ainda pela Fórmula Indy em 2006 e 2008, e "voltou" à GP2 em 2007; desde 2008, passou por Fórmula Superliga (foi piloto do Corinthians até 2009), Stock Car (2008 a 2011) e Itaipava GT Brasil (2010 e 2011), além de participar de corridas de aventura e triatlos.

Takuma SATO (JAP)
Depois de correr por Jordan (2002), BAR (2003 a 2005) e Super Aguri (2006 a 2008), ficou sem vaga na Toro Rosso em 2009; daí em diante, o japonês passou o ano sem chances, mas se reabilitou e foi para os Estados Unidos, onde corre desde 2010 pela KV Racing - em 2011, foi companheiro de Tony Kanaan.

Posts Relacionados

0 comentários :