Grande Prêmio dos Estados Unidos-Oeste de 1977

12/04/2012


A F1 passava por uma fase negra quando aportou na Califórnia para o segundo Grande Prêmio nas ruas de Long Beach. Além da terrível morte de Tom Pryce, a F1 viu outro piloto promissor nos deixar de forma trágica, mas não nas pistas. Enquanto James Hunt vencia a Corrida dos Campeões, naquele mesmo domingo José Carlos Pace descansava em São Paulo e viajava para o interior quando o seu avião, pilotado por Marivaldo Fernandes, bateu na Serra da Cantareira e o Brasil ficava órfão de um dos seus grandes pilotos da história. A Brabham colocou Hans-Joachim Stuck em seu lugar, mas o time de Bernie Ecclestone só se recuperaria nos anos 80.

Voltando à Califórnia, a F1 vivia um campeonato emocionante, com a Ferrari não dominando como em 1975-76, a Lotus numa crescente e a Wolf querendo mostrar que sua vitória na Argentina não era apenas um incidente isolado. No primeiro treino, Scheckter consegue um leve predomínio em seu Wolf, com Lauda, Reuteman e Andretti o seguindo, enquanto Emerson Fittipaldi surpreendia com um quinto lugar. No sábado, Lauda e Andretti pulam na frente, deixando Scheckter na segunda fila, por que o sul-africano testou, sem sucesso, pneus traseiros mais largos. Mostrando a força da Brabham, Watson pulou na frente de Emerson, trazendo consigo Jacques Laffite. Stuck, substituto de Pace, ficou apenas em 17º, mostrando o quanto a Brabham perdera com a morte do brasileiro.

Grid:
      1)      Lauda (Ferrari) – 1:21.630
      2)      Andretti (Lotus) – 1:21.868
      3)      Scheckter (Wolf) – 1:21.887
      4)      Reutemann (Ferrari) – 1:22.260
      5)      Laffite (Ligier) – 1:22.296
      6)      Watson (Brabham) – 1:22.372
      7)      Fittipaldi (Copersucar) – 1:22.382
      8)      Hunt (McLaren) – 1:22.529
      9)      Jarier (Penske) – 1:22.611
    10)   Peterson (Tyrrell) – 1:22.655

O dia 3 de abril de 1977 estava quente e ensolarado na Califórnia, condições mais do que normais para uma corrida de Formula 1. Com uma curva de baixa velocidade logo após a largada, esperavam-se acidentes logo na primeira volta. E foi exatamente o que aconteceu. Jody Scheckter consegue uma largada de sonho, saindo da segunda fila rumo a primeira posição. Andretti não larga tão bem, atrasando Reutemann e Hunt. Isso fez com que Vittorio Brambilla, o italiano da March que largava em 11º, se animar com uma brecha e acaba acertando a traseira da McLaren de Hunt, fazendo o inglês sair da pista. Carlos Reutemann consegue dar a volta no carro de Hunt, mas quando retornava à pista, acabou batendo na March de Alex Dias Ribeiro e o argentino teve que abandonar naquele momento.

Essa confusão logo na primeira curva praticamente decidiu os rumos da prova. Apesar de ter largado mal, Andretti permaneceu no primeiro pelotão e durante a primeira volta, conseguiu ultrapassar Lauda, subindo para segundo. Scheckter assumia a primeira posição, enquanto Andretti e Lauda vinham logo a seguir. Os demais, atrasados pelo incidente de Hunt, foram meros coadjuvantes. Foi uma exibição de gala desses três pilotos que, não sendo nenhuma coincidência, conseguiram pelo menos um título mundial em suas carreiras. Todos os três tinham algo a provar naquele dia. Lauda ainda precisava confirmar que estava mesmo recuperado do seu acidente em Nürburgring e retomar definitivamente o cargo de primeiro piloto da Ferrari. Scheckter, por sua vez, queria sepultar o troglodita que um dia foi chamado pela imprensa italiana e tratava muito bem seu surpreendente Wolf. Já Andretti, correndo em casa, mostrava o crescimento da Lotus. Mais atrás, Alan Jones substituía bem Tom Pryce na Shadow e era sexto colocado quando abandonou. Emerson Fittipaldi tinha as esperanças renovadas com o seu novo carro e terminou a prova num bom quinto lugar, logo atrás de Patrick Depailler, que levou seu Tyrrell de seis rodas num bom quarto lugar, depois de problemas nos treinos e se aproveitar de um problema que atrasou definitivamente Jacques Laffite nas voltas finais.

Lá na frente, Scheckter, Andretti e Lauda faziam uma corrida de altíssimo nível, levantando os americanos das arquibancadas improvisadas de Long Beach. Guiando no limite, eles bateram sucessivamente o recorde da pista, andando muitos próximos uns dos outros. Porém, na 77º volta de 80, o líder Scheckter dá uma atravessada numa freada. O piloto da Wolf olha no seu retrovisor e vê seu pneu traseiro côncavo, completamente murcho. Scheckter pensa em fazer uma parada de emergência, mas como o problema não tinha piorado tanto, o sul-africano resolve permanecer na pista. Porém, tendo que ter muito cuidado nas freadas, Scheckter não resiste a Andretti, que o ultrapassou tranquilamente e logo depois foi a vez de Lauda fazer a mesma manobra. Mesmo com pneu murcho, Scheckter não desgrudou do pelotão da frente e recebeu a bandeirada de terceiro colocado menos de 5s depois de um felicíssimo Andretti. Foi uma vitória de sorte para o ítalo-americano, mas sua vitória em Long Beach foi bastante popular. Lauda alcançava Scheckter na liderança do campeonato e partia impávido rumo ao bicampeonato.

Chegada: 
      1)      Andretti
      2)      Lauda
      3)      Scheckter
      4)      Depailler
      5)      Fittipaldi
      6)      Watson

Posts Relacionados

0 comentários :