Grande Prêmio da França de 1997

30/06/2012

A conturbada corrida em Montreal havia deixado marcas para a prova seguinte em Magny-Cours, na França. Aliando os ótimos resultados de Olivier Panis e o comando do ídolo Alain Prost na equipe que passava a levar o nome do tetracampeão, os franceses tinham muito com que vibrar em seu GP local depois de anos até o forte acidente de Panis no Canadá acabar com as chances dos gauleses verem um compatriota seu vencer, literalmente, no quinta de casa, até por que a fábrica da antiga Ligier ficava próximo a curva 1 de Magny-Cours e Panis, em ótima fase, seria um dos favoritos a vitória na França se não fosse o acidente. Sem nenhum piloto francês à disposição, Prost tirou Jarno Trulli da Minardi, que o substituiu pelo brasileiro Tarso Marques, enquanto a Sauber trazia o mediado Norberto Fontana para o lugar de Gianni Morbidelli, machucado em um teste privado. Fontana tinha bom apoio de patrocinadores do seu país e só por isso ele alinharia com a Sauber, pois seu desempenho como piloto de testes deixava muito a desejar.

O norte europeu estava chuvoso naqueles primeiros dias de verão e a sexta-feira foi debaixo de chuva, onde os usuários da Bridgestone mostraram muita força, com Rubens Barrichello, da Stewart, ficando em primeiro. Porém, o sábado estava quente e claro, fazendo com que a ordem voltasse ao normal e os usuários da Goodyear - das equipes principais - voltassem ao primeiro plano. Schumacher dominou a classificação, algo que ainda não havia feito desde que estreara pela Ferrari em 1996, e ficou com a pole, deixando para trás a Williams, que esteve cambaleante o final de semana inteiro, principalmente Villeneuve, que sofreu um acidente no sábado pela manhã e teve muito trabalho para se classificar em quarto.

Grid:
1) M.Schumacher(Ferrari) - 1:14.548
2) Frentzen(Williams) - 1:14.749
3) R.Schumacher(Jordan) - 1:14.755
4) Villeneuve(Williams) - 1:14.800
5) Irvine(Ferrari) - 1:14.860
6) Trulli(Prost) - 1:14.957
7) Wurz(Benetton) - 1:14.986
8) Alesi(Benetton) - 1:15.228
9) Coulthard(McLaren) - 1:15.270
10) Hakkinen(McLaren) - 1:15.339

O dia 29 de junho de 1997 havia amanhecido chuvoso em Magny-Cours, mas o warm-up havia acontecido com pista praticamente seca no seu final, com a Ferrari continuando com seu domínio, porém, nuvens ameaçadoras pairavam sobre o circuito francês quando a hora da largada se aproximou. Por isso, houve quem apostasse em estratégias diferentes, como foi o caso de Villeneuve, apostando em um set-up para pista molhada. Ele se arrependeria amargamente durante a corrida, com um carro desequilibrado o tempo inteiro. Quando as luzes vermelhas apareceram, a dupla da primeira fila largou bem e Schumacher se manteve na ponta à frente de Frentzen. Já o pessoal da segunda fila não fez o mesmo e foram ultrapassados por Irvine, em seu melhor final de semana em muito tempo pela Ferrari.

Schumacher fazia uma corrida magistral com sua Ferrari, abrindo vantagem sobre Frentzen, que por sua vez não era ameaçado pela segunda Ferrari de Irvine. O alemão da Ferrari abria 1s por volta sobre o compatriota da Williams, enquanto Villeneuve pressionava Irvine, que fazia o irlandês encostar em Frentzen, mas como Magny-Cours não era muito favorável a ultrapassagens, os três pilotos andavam em trenzinho, mas sem ameaçar o rival à frente, enquanto Ralf Schumacher não repetia a ótima exibição do sábado e claramente segurava as duas McLarens. As primeiras paradas ocorreram sem nenhum problema e os quatro primeiros colocados, ambos com Ferrari e Williams, permaneceram nas mesmas posições, o que denotava uma corrida chata. Porém, a esperança de momentos melhores viam do céu. Nuvens escuras circundavam o circuito de Magny-Cours na medida em que o segundo round de paradas se aproximava. Schumacher já tinha 22s de vantagem sobre Frentzen quando as primeiras gotas começaram a cair em Magny-Cours, deixando a corrida, monótona até o momento, emocionante para saber quem pararia e quais pneus utilizaria.

Irvine fez sua parada e colocou pneus slicks, mas para azar do irlandês, logo depois a chuva aumentou de intensidade, porém, quando foi a vez de Schumacher, o alemão resolveu escolher também os pneus slicks! Além de um piloto excepcional, Schummy percebeu que a chuva seria pouca e mesmo com a pista escorregadia, preferiu arriscar os pneus para piso seco, o que fizeram o restante dos pilotos fazerem o mesmo, menos Trulli, que botou intermediários. E se arrependeria por isso! A chuva não veio da intensidade esperada do italiano da Prost e seus pneus se desgastaram rapidamente. Contudo, quando faltavam exatamente dez voltas, uma pancada de chuva se abateu em Magny-Cours e vários pilotos foram aos boxes, menos Schumacher e Frentzen, que permaneceram na pista com pneus slicks, mesmo com a pista claramente molhada. Foi um show de pilotagem de ambos, que lhe garantiram uma incrível dobradinha alemã. Mais atrás, uma confusão generalizada de pilotos entrando e saindo dos boxes bagunçou a ordem da corrida, fazendo dessas dez voltas muito mais emocionantes do que as demais sessenta! Villeneuve foi aos boxes e caiu para sexto, pressionando Ralf Schumacher e Coulthard, que resolveram arriscar com pneus slicks. O canadense da Williams ultrapassou ambos de forma agressiva e ainda teve tempo de atacar Irvine nas últimas curvas, mas Villeneuve acabaria rodando e quase perdendo o quarto lugar para Alesi, que uma volta antes tinha colocado Coulthard para fora da pista numa manobra polêmica. Porém, o grande personagem do dia foi Michael Schumacher, que venceu de forma espetacular em Magny-Cours, fazendo um hat-trick empolgante e aumentava sua vantagem no campeonato.

Chegada:
1) M.Schumacher
2) Frentzen
3) Irvine
4) Villeneuve
5) Alesi
6) R.Schumacher

Posts Relacionados

0 comentários :