O Paradoxo de Barrichello

17/08/2012

Caros Amigos de Gpexpert,

Numa semana de ressaca Olímpica, ainda não começou a temporada de fofocas sobre 2013 na F1, mas Rubens Barrichello deu o ar da graça nesta semana. Em uma entrevista dada ao jornal alemão, ele mostrou um ar depressivo e amargo como poucas vezes se viu.
Dizer que pensa ainda e torce por um retorno à F1, por mais que pareça improvável ainda é aceitável, mas dizer que o coração ainda sangra e ser categórico em dizer que a equipe e os pilotos da Williams estariam melhor com sua presença é no mínimo um ar de desespero e desprezo pela própria Indy.
Que Barrichello preferiria um milhão de vezes estar na F1 do na Indy, ninguém dúvida, já que foi posto para fora da categoria máxima do automobilismo e seu ano na Indy não tem sido um mar de rosas. Entretanto, não é motivo para tanta nostalgia, se ele foi "obrigado a ir para Indy" foi porque ninguém na F1 o quis e a dificuldade que Rubens está tendo de adaptação é normal para um novato, mesmo sendo um de 40 anos.
Digo que o ano não tem sido o que Barrichello esperava, pois embora tenho sido o melhor novato em Indianapolis, foram poucos os bons resultados durante o ano, principalmente nos circuitos mistos onde deveria estar disputando no pelotão da frente.
Problemas são muitos: Rubens não se adaptou a simplicidade do carro, a simplicidade das pistas e nem a simplicidade da Indy, sua cabeça ainda está nos milhões de dólares de orçamento e nas suntuosas pistas que  a F1. A Indy não é assim e já mais será!
Outro problema é que a KV é uma equipe que tem muito mais boa vontade do que "caixa" para ser grande. Tony Kanann tem feito milagre para manter este carro andando nas primeiras posições (quando consegue isso). Para finalizar: este carro novo da Indy pode ser seguro como antigo não era, mas piorou o nível de disputa na pista, as corridas em pistas convencionais estão limitadas basicamente estratégias e não mais as brigas e ultrapassagens, o que dificulta ainda mais quem não possui um bom equipamento e uma boa estratégia.
O título chama-se "Paradoxo", pois embora  haja críticas a Indy, o campeonato está muito disputado (bem mais que a F1) e faltando 3 provas para o final do campeonato vários pilotos ainda tem chance de ser campeão. Paradoxo também, embora Rubens tenha este "amor" ainda pela F1, está sendo assediado por equipes na Indy e no dia seguinte a entrevista dada, disse que quer ficar mais um ano na KV. Se não é paradoxo, é ironia...
Na verdade, ele tentou expor que o que realmente queria era estar na F1 e não está por falta de oportunidade e que aguarda algum contato de alguma equipe.
Rubens Barrichello tem que seguir sua carreira agora na Indy, guardar as boas lembranças que teve na F1 e pensar que tem muito a aprender e desenvolver em sua nova categoria. A F1, para ele é passado, não ainda chorar e pensar no improvável, é seguir a vida como qualquer um que passou um grande desgosto na vida.
Abraços and keep yourself ALive!

Posts Relacionados

0 comentários :