Rest In Peace

17/09/2012

Este fim de semana tivemos etapa do carioca de marcas no autódromo de Jacarepaguá. Sim! Para quem não sabe, ainda queimamos borracha por aqui. Ainda.

Mas isso é o que menos importa. O panorama  é de destruição. As arquibancadas descobertas já não existem mais. O setor Norte, desativado desde 2007, também não. O estacionamento interno foi reduzido a algumas vagas apenas. Caminhões e retro-escavadeiras podem ser vistos pra todo lado...

E infelizmente não há mais o que fazer. Jacarepaguá, que antes respirava por aparelhos, agora morre definitivamente. E não adianta ficarmos indignados, putos, reclamando, protestando... Nada vai mudar. As eleições estão aí, vão  passar, e nada de diferente vai acontecer. Repito: infelizmente.

Isso tudo por um motivo simples: grana. Há muita grana envolvida. Muita! O prefeito Eduardo Paes e suas maracutaias com empreiteiras "amigas" são os principais responsáveis por essa merda toda. Mas só os idiotas acreditam que eles são os únicos culpados. A FAERJ também tem sua parcela (de culpa e de grana), assim como a CBA, a Rede Globo a Vicar... Essa corja toda. Me arrisco a dizer que sobra até mesmo para o publico.

Ao invés de pagar R$20 para assistir a um dia inteiro de corridas de carro, o sujeito prefere encher o rabo de cerveja à R$1 em algum Barra Music da vida. Depois, ainda pega o seu automóvel, bate, mata alguém e espalha que o automobilismo é perigoso. Que é uma das causas dos acidentes de trânsito...

E isso já entrou na cabeça da sociedade. Para a população em geral, um cara que se diz "piloto", mesmo o sendo, é o cara que faz merda no trânsito. O que costura, o que bate, o que mata e fica impune. Tirar isso da cabeça deles é uma merda...

Esse é um dos motivos pelo qual ninguém liga mais para automobilismo aqui no Rio.

O outro é a falta de kartódromos. A base. As poucas pistas indoor que existem, e que deveriam atrair o público para o esporte (mostrando também algum respeito pelos pilotos), simplesmente cagam. Mas, não os condeno. Uma vez que a FAERJ, que deveria fornecer algum suporte, também caga para eles e, consequentemente, para nós.

O publico do autódromo se resume aos Track Days. Eventos onde quem tem carro (e grana, sempre) pra torrar se diverte. O resto, só olha. O Estadual de Turismo se resume aos pilotos e os que vivem de automobilismo. Mecânicos, chefes de equipe, fiscais, e uma meia  dúzia de gatos pingados que ainda curtem o  negócio (me incluo aí). Só.

Mas, enfim...


Voltando a etapa (se é que alguém leu até aqui). Na primeira bateria, João Scalabrin venceu de ponta a ponta, seguido por Celso Vianna, Paulo Coelho (não o mago), Marcelo Costa e Rodrigo de Paoli.

A segunda bateria foi marcada pela desclassificação do vencedor e atual líder do campeonato, João Scalabrin, após um toque com o Corsa #81 de Marcelo Costa. Uma puta sacanagem, pra falar a verdade. Mas, o piloto do carro #30 entrou com recurso, e a decisão está nas mãos do tribunal desportivo. Vamos ver.

Para quem quiser tirar conclusões, o vídeo com a câmera On Board do Scalabrin está aí embaixo, e o tal "incidente" aparece aos 1m e 40s.



Para finalizar, em caráter extra-oficial, a vitória da segunda etapa ficou com o meu amigo Rafael Franco, seguido de Rodrigo de Paoli, Gustavo Mascarenhas, Willians Suhr e Paulo Lanfredi.

Se gostou, visite o Blog do Boueri para ver mais automobilismo de qualidade.

Posts Relacionados

1 comentários :

Victor Xavier disse...

para falar a verdade o João Scalabrin entrou com o carro aonde não devia, a culpa foi toda dele pelo toque