As mudanças para 2013

30/01/2013

Fórmula 1 promoveu uma série de pequenas alterações no regulamento para a temporada de 2013, e poucas têm efeito prático para os espectadores. Entre elas, destacam-se as mudanças nos treinos de classificação, como a eliminação de menos carros no Q1 e o Q2, e a possível extinção do degrau no bico, criticado pela má aparência no ano passado. Confira a seguir todos os detalhes e fique por dentro do que mudou na maior categoria do automobilismo.

Uso da asa móvel

Por razões de segurança, em 2013, os pilotos só poderão usar a asa traseira móvel dentro das zonas designadas durante os treinos livres e a classificação. Antes, era permitido acionar o sistema de redução de arrasto a qualquer momento durante os treinos.

Asa móvel dupla

Em 2012, a Mercedes desenvolveu um sistema em que o ar era canalizado a partir da abertura da asa traseira móvel para ajudar a estabilizar a asa dianteira. Para 2013, recursos como esse estão banidos.

Degrau no bico

As equipes terão a opção de melhorar a estética de seus carros e dar fim aos degraus nos bicos, adotados em 2012 para se adaptar às normas de segurança que estabeleciam uma altura mínima para a cockpit em relação ao chão. Em 2013, a introdução de um pequeno painel laminado no bico vai permitir um design mais leve às dianteiras dos carros.

Testes de colisão

Para aumentar a segurança dos carros, os testes de colisão serão mais rígidos em 2013, e todos os chassis produzidos pelas equipes precisarão passar pelos testes de carga estática da célula de sobrevivência.

Toque de recolher

O toque de recolher que evita que os mecânicos das equipes virem noites trabalhando foi estendido de seis para oito horas nas madrugadas de 2013. Além disso, o número de exceções permitidas durante uma temporada foi reduzido de quatro para duas.

Testes de asa dianteira

Em 2013, os testes de deflexão das asas dianteiras serão mais restritivos, a fim de evitar a possibilidade do uso de peças flexíveis para ajudar no desempenho aerodinâmico dos carros.

Peso mínimo

O peso mínimo dos carros, incluindo o piloto, foi aumentado de 640 kg para 642 kg, para compensar o leve crescimento do peso dos pneus da Pirelli para 2013. A distribuição obrigatória de peso também foi ajustada de acordo com essa alteração.

Tanque vazio nos treinos

Foi excluída do regulamento a ressalva de “força maior” para ser usada como desculpa pelas equipes caso um de seus carros pare na pista durante treinos de classificação. Em 2013, caso algum piloto não leve o carro de volta aos pits com pelo menos um litro de combustível para amostras, será imediatamente punido e largará no fundo do grid. Foi o que aconteceu com Sebastian Vettel no GP dos Emirados Árabes de 2012, só que depois de um “julgamento” da direção de prova.

Treinos de classificação

Treinos de classificação Não se trata de uma mudança de regras, mas uma adaptação ao número menor de pilotos devido à saída da HRT. Como o grid terá 22 carros, dois a menos do que em 2012, serão eliminados seis ao invés de sete pilotos ao final do Q1 e do Q2.

Taxas de inscrição

Treinos de classificação Como campeã de Construtores do ano passado, a Red Bull terá que pagar uma taxa de US$ 500 mil, além de US$ 6 mil por cada ponto ganho no Mundial de 2012. Todas as outras equipes deverão pagar US$ 500 mil e mais US$ 5 mil por ponto marcado no ano anterior.

fonte: uol.com.br

Posts Relacionados

0 comentários :