As mudanças nos carros de 2012 para 2013

14/02/2013

Apesar das poucas alterações no regulamento, as equipes da Fórmula 1 não deixaram de apresentar novidades nos carros para este ano. Algumas inovaram na pintura, como a RBR roxa e a Sauber grafite; outras na aerodinâmica, como a Ferrari de linhas clássicas e com o “antipático” degrau no bico camuflado. Nos infográficos a seguir, arraste a barrinha de um lado para o outro para conferir as diferenças entre os carros de 2012 e 2013. Ao fim dos textos, confira links para relembrar os lançamentos, galerias de fotos e análises completas.

Dos 11 times, dez estrearam os novos modelos na primeira sessão de testes, neste início de fevereiro, liderada por Felipe Massa. Só a atrasadinha Williams andou de carro “velho”. Ela apresenta o novo bólido no dia 19. A temporada começa com o GP da Austrália, em 17 de março.

RBR

Campeã dos Mundiais de Pilotos e Construtores nos três últimos anos, a equipe de Sebastian Vettel e Mark Webber - conhecida pelas inovações de Adrian Newey, o “mago da aerodinâmica” - não apresentou tantas mudanças técnicas visíveis em seu novo RB9. A ousadia fica por conta do visual, com o azul predominante dando espaço para o roxo. 


Ferrari

Depois do design “agressivo” do carro de 2012, a Ferrari apostou em um desenho mais clássico para o novo F138, de Massa e Fernando Alonso. Além das linhas harmônicas, adotou o “modesty panel” para disfarçar o degrau no bico, que causava estranheza nos fãs. As faixas preta e branca que acompanham o tradicional vermelho fizeram a alegria dos torcedores do São Paulo (por coincidência, time de Felipe), que batizaram o modelo de Ferrari tricolor. 


McLaren

Visualmente, poucas mudanças: a nova McLaren, de Jenson Button e Sergio Pérez, segue com a pintura prateada com detalhes em vermelho, considerada por muitos a mais bonita do grid. Por dentro, alterações significativas no MP4-28 para buscar o título em seus 50 anos. Entre elas, a adoção do degrau no bico, camuflado pelo “modesty panel”, e um sistema de suspensão semelhante ao da Ferrari. 


Lotus

Primeira a lançar o modelo 2013, no início de janeiro, a Lotus mostrou que nem todas as equipes adotariam o painel para esconder o degrau no bico no E21. “Gramas desnecessárias a mais”, alegou o projetista do time de Kimi Raikkonen e Romain Grosjean. Na parte visual, a irreverente equipe inglesa aumentou a presença do vermelho em escreveu na carenagem: “Sou sexy e sei disso”.


Mercedes

Após um 2012 que começou promissor, mas terminou decepcionante, a Mercedes traz novidades em seu F1W04, que será guiado por Lewis Hamilton e Nico Rosberg. A pintura é bem semelhante à anterior, mas há diversas alterações visíveis no bico, nas entradas de ar, nos escapamentos, etc. Tudo pela difícil missão de, enfim, alcançar os dias de glória em sua volta à Fórmula 1. 


Sauber

A batida de Sergio Pérez em Mônaco, há dois anos, inspirou o projetista da Sauber a estreitar as laterais do novo carro - só faltou dar mais espaço no cockpit para o gigante Nico Hulkenberg. Mas o que mais chama a atenção no C32, que também será guiado por Esteban Gutiérrez, é a cor. O time suíço foi o que promoveu a maior mudança na pintura. Sai o branco e entra o cinza-grafite como predominante, em uma pintura parecida com a Hispania guiada por Bruno Senna em 2011. 


Force India

A evolução da Force India nos últimos anos foi interrompida por um ano de 2012 abaixo do esperado. Mesmo assim, o time comandado pelo empresário Vijay Mallya, que enfrenta uma grave crise financeira com sua companhia aérea – não fez muitas mudanças no novo carro. Além da pintura, a parte aerodinâmica é muito semelhante ao modelo anterior. Destaque para a adoção do painel para esconder o degrau no bico. Só falta apresentar o companheiro de Paul di Resta...


STR

Enquanto a RBR ousou ao abusar do roxo na nova pintura, a equipe satélite STR manteve o esquema de cores que a acompanha desde a estreia em 2006. O time, que segue com Daniel Ricciardo e Jean-Eric Vergne, caiu de produção desde que a FIA cobrou independência de projetos com a RBR, e apresenta algumas mudanças aerodinâmicas em busca da reafirmação. E um dos trunfos é o projetista James Key, que fez bom trabalho na Sauber.


Caterham

A escuderia anglo-malaia traz mudanças aerodinâmicas, principalmente no bico dianteiro e na parte traseira, para tentar deixar o time das “nanicas” e, enfim, saltar para o grupo intermediário. Mas o que mais chama a atenção no novo carro de Charles Pic e Giedo van der Garde é o visual. A equipe diminuiu o amarelo e adotou um verde mais claro e metalizado para este ano.


Marussia

A equipe pela qual estrearão o brasileiro Luiz Razia e o britânico Max Chilton é outra que quer deixar de ser “nanica”. Em busca deste objetivo, o time finalmente introduziu o Kers, após três anos sem  o sistema de recuperação de energia cinética, a principal mudança para este ano. As cores seguem o vermelho e preto com detalhes brancos, mas com um desenho diferente. 


fonte: globo.com

Posts Relacionados

0 comentários :