O 1º GP de Mônaco

04/02/2013

Largada do primeiro GP


Olá pessoas, hoje vou criar o que espero ser uma série: Primeiro GP. Contarei como foram as primeiras corridas de alguns dos gps que todos nós conhecemos. Como foi a primeira corrida em Spa? ou em Nürburgring? Começarei hoje nos mergulhando na história do gp mais fresco e esperado da f1: o gp de Mônaco! Atualmente é considerado uma das provas mais importantes do automobilismo mundial, ao lado de Le Mans e das 500 milhas, e todo piloto de formula 1 quer conquistar uma vitória por lá. Mas como isso começou? Vamos volta para a segunda metade da década de 20. Por toda a Europa começavam a surgir grandes prêmios, o da Alemanha começou em 1926, na Bélgica a primeira edição foi disputado em 1925, Itália 1921, Inglaterra 1926 e a França era o mais antigo disputado desde 1906.

Mônaco queria entrar na bagunça. Desde 1911 era realizado o Rallye Automobile Monte Carlo, o tão famoso e importante Rali de Monte Carlo. Alexandre Noghès foi o criador da Automobile Club de Monaco (ACM) organizadora do Rali. Mas até 1928 a ACm era um clube regional da frança, então Alexandre pediu a Association Internationale des Automobiles Clubs Reconnus (AIACR), a FIA da época, uma promoção da federação para um status maior, como uma entidade nacional.

A AIACR recusou, o maior evento realizado pela ACM era o RAli de Monte Carlo, e como ele usava estradas de outros países europeus e o pessoal não gostava disso. Então a ACm resolveu criar um gp que seria disputado nas ruas de Monte Carlo. O filho de Alenxadre, o Anthony, resolveu que iria organizar esse gp e pronto. Para a organização desse evento ele contou com apoio oficial do príncipe Louis II.

Saint-Devot

Para ajudar na organização do circuito e etc e tal, ele foi procurar Louis Chiron, um dos melhores pilotos da época na Europa que vinte anos depois também correria na F1, mas sem muito sucesso, (seu único pódio foi em Mônaco, e ele é o piloto mais velho a alinhar num gp, idade? 58 anos), com a ajuda dele ele foi criado um circuito que passava naquela região que nós conhecemos tão bem.

Óbvio que era um pouco diferente o circuito, e antes de prosseguir vou dar uma descrição, A Saint-Devot era uma curva mais suave, depois dela o circuito é basicamente igual hoje, até chegar na chicane do porto, onde você se desviava do caminho para a esquerda passando entre duas muretas de feno, o trecho após a chicane do porto e antes da tabacaria era mais extenso, vinha a curva da tabacaria e uma versão invertida da reta de largada. Ai freada e o Gasômetro, curva mo legal de 180° que dava na reta.

O traçado

Falado do circuito, voltemos a história. Circuito definido, hora de correr. A ACM resolveu convidar vários pilotos para a disputa do gp e também um premio de 100,000 francos. Pilotos convidados, os pilotosl mais importantes da Maserati e da Alfa Romeo acharam que não era uma boa idéia aquilo e resolveram não participar do gp, azar o deles.

No final das contas 16 carros iriam participar da primeira prova disputada no principado. Louis Chiron, que ajudou a criar o gp não participaria, pois havia ido aos estados unidos para disputar as 500 milhas de indianápolis. A Bugatti era representada por 8 carros, de variadas versões, mas todas baseadas no Type 35. A Mercedes apareceu com Rudolf Caracciola, o próprio. Armado num grande, bem grande, Mercedes SSK de 7 litros(!). Os favoritos à vitoria eram Caracciola, que vinha de uma vitória na Alemanha, e Philippe Étancelin, que venceria em Le Mans em 1934 ao lado de Luigi Chinetti. Além de Bugattis e do Mercedes havia três Alfa-Romeo 6C, dois Maserati 8C, um Delage 15S8 e um La Licorne 1.5.

O Mercedes SSK de Caracciola

Foram realizados os treinos e a pole ficou com Étancelin no seu Bugatti, dividindo a primeira fila com ele estavam outros dois Bugattis o de Christian Dauvergne e o de Marcel Lehoux. Caracciola teve problemas e largaria de um distante 15° lugar.
14 de Março de 1929. Dia de corrida, exatamente às 13:31 horas, Charles Faroux diretor de prova deu a bandeira verde para a largada dos carros, que completariam longas, muito longas, 100 voltas ao redor do circuito de Mônaco. Lehoux larga bem e assume a ponta da corrida. Étancelin é perseguido por, veja só, o Caracciola. Na altura do túnel o líder é William Grover-Williams, “Willams”, que havia largado com seu Bugatti pintado de verde do meio da segunda fila.

A traiçoeira chicane do porto faz uma vítima: Leheuxque acerta os sacos de areia por lá. Com isso, boxe, troca duas rodas e volta. Mas na volta 7 ele tem problemas e tem de abandonar. Pé em baixo e na volta 24 Caracciola assume a ponta. Na volta 36 “Williams” retoma de novo. Parada na volta 49 para “Williams” e Caracciola de volta à liderança.

Na volta 50 Caracciola comete um erro ao acertar um meio-fio perdido no meio do caminho. Para para trocar pneus e gasolina. Perde incríveis 4 minutos e meio. Volta 1 volta atrás dos líderes: Georges Bouriano e “Williams”, ambos de Bugatti. Esses dois disputam até a volta 60, quando “Williams” assume a liderança e fica nela até o final.

“Williams” no seu Bugatti

Termina a corrida na frente. Depois de 100 voltas e 3h 56 min 11 seg ele cruza a linha de chegada. Em segundo passa o Bugatti de Georges Bouriano, pouco mais de 1 minuto atrás, e em terceiro a Mercedes de Caracciola, com mais de 2 minutos de atraso. A cor do Bugatti de “Williams” um verde mais escuro viraria a cor usada pelos carros britânicos. Ele conquistaria mais algumas vitórias pela Bugatti, entre elas o gp da Bélgica em nossa querida Spa-Francorchamps. Durante a Segunda Guerra Williams atuaria como espião na frança, capturado em 1943 morreria num campo de concentração nazista em 1945, próximo ao final da guerra.

Esse foi o primeiro Grande Prêmio de Mônaco. Nos anos seguintes ele cresceria em importância, e se tornaria um dos gps mais importantes da europa. Em 1936 e 1937 contaria pontos para o campeonato europeu de pilotos, uma previa da Formula 1. E em 1950 seria um dos gps escolhidos para fazer parte do calendário da Formula 1. Hoje tem o status de gp mais importante, e ao longo desse 83 anos consagrou muitos heróis e martires. E tudo começou com 16 carros em 1929.

A Gare

Matéria gentilmente cedida por: http://conversadef1.wordpress.com/

Posts Relacionados

0 comentários :