Comecei essa série especial do tricampeão brasileiro e seria absolutamente indigno terminá-lo abruptamente só porque o dia 21 de Março já está longe. Tenho mais fotos aqui, e quer saber? Foda-se. Sigamos com Senna e a corrida mais emblemática a respeito de sua carreira.

Muito se diz sobre Donington/1993. Várias coisas são superestimadas, o que é óbvio, e outras são esquecidas, o que é igualmente normal. Eu vou tentar ser o mais breve possível. O GP da Europa de 1993 mereceria, se não um livro, uma série inteira para contá-lo.

Senna chegou a Donington Park, pista até então inédita para o calendário da Fórmula 1, um tanto cético a respeito das possibilidades de seu carro. O McLaren-Ford permitiu a Ayrton vencer em Interlagos, mas lá era diferente, caiu uma enorme tempestade, Prost abandonou, Hill estava conservador, a torcida o empurrava, enfim, foi algo excepcional. Na Inglaterra, tudo voltaria ao normal e Senna seguiria apanhando da Williams FW15 de Alain Prost e Damon Hill.

Mas chovia durante todo o fim de semana em Donington Park e o McLaren se portava bem nessas condições. Na sexta-feira chuvosa, Senna chegou a ser o mais rápido do primeiro treino classificatório. No dia seguinte, a pista estava seca e Ayrton caiu para quarto. Na sua frente, Prost, Hill e Michael Schumacher.
No domingo, a pista estava ligeiramente úmida, o suficiente para obrigar os pilotos a largarem com pneus biscoito. A largada é dada e Ayrton Senna arranca mal, perdendo a quarta posição para Karl Wendlinger, da Sauber, logo na saída. A partir daí, o show.

CRANER CURVES – Na primeira perna da sequência de curvas Craner, à direita, Senna deixa Schumacher para trás. Senna é quarto, mas já na segunda perna, à esquerda, ele encontra uma brecha, coloca por fora e ultrapassa Karl Wendlinger, assumindo o terceiro lugar.

MCLEANS – Logo depois da Old Hairpin, Senna traciona melhor que Hill e segue acelerando atrás do inglês. Sem muita reação, Damon acaba sendo ultrapassado por Ayrton na McLeans, curva de baixa velocidade à direita. Senna é segundo.

MELBOURNE - Após a McLeans, há um considerável trecho em alta velocidade. Senna utiliza o retão entre a Coppice e os Esses para se aproximar da Williams da Alain Prost. Completado o esse, Senna gruda na traseira da Williams. Quando se aproxima o grampo Melbourne, o brasileiro coloca por dentro e ultrapassa Prost sem dificuldades. Em apenas uma volta, passa de quinto para primeiro.

A partir daí, a corrida foi uma verdadeira montanha-russa climática, variando da pista seca para a chuva forte. Senna teve problemas nos pits, mas Prost também. No fim das contas, Senna venceu e ainda se deu ao luxo de colocar uma volta em cima do Professor, o terceiro colocado atrás de Damon Hill.

Duas vitórias em três corridas, Senna era líder do campeonato em um carro praticamente rejeitado por ele pouco antes do campeonato. Desculpem se não detalhei a corrida, mas é a primeira volta que realmente importa. Segue o vídeo: