Durou 12 voltas a primeira corrida de Alex Caffi na Fórmula Truck. O piloto italiano disputou o GP Aurélio Batista Félix, no último domingo (19) em Caruaru (PE), com o caminhão Iveco número 21 da Dakarmotors. Abandonou a disputa depois de 12 voltas, com problemas mecânicos. A prova no Autódromo Internacional Ayrton Senna teve vitória do gaúcho Régis Boessio, novo líder do Campeonato Sul-Americano da categoria.

A disputa em Caruaru contou pontos como segunda das quatro etapas do Sul-Americano e foi, também, a terceira das dez que compõem o calendário do Campeonato Brasileiro. A próxima etapa da categoria dos caminhões mais rápidos do mundo, válida apenas pelo Brasileiro, está confirmada para o dia 9 de junho em Goiânia (GO), onde o palco da competição também leva o nome Autódromo Internacional Ayrton Senna.

Apesar das dificuldades que enfrentou no fim de semana, Caffi saiu de Caruaru satisfeito. “O meu caminhão ficou pronto a menos de uma semana da corrida. O motor só foi ligado na noite anterior ao primeiro treino, aqui mesmo no autódromo. A gente sabia que teria vários contratempos, porque não houve tempo para enfrentar esses contratempos em um treino de preparação, como gostaria de ter feito”, explanou Caffi.

Largando em 18º entre os 24 participantes da corrida, que colocou em disputa o GP Aurélio Batista Félix, o italiano ficou satisfeito com as situações de corrida que experimentou. “Chegando agora com um caminhão que precisa ser desenvolvido, imaginei que fosse andar atrás, mas consegui fazer parte do pelotão intermediário, fiz e levei ultrapassagens, defendi a posição algumas vezes. Valeu como aprendizado”, narrou.

O intervalo de três semanas até a etapa goiana inviabiliza a realização do treino preparatório pretendido por Caffi. “O caminhão volta para a sede da equipe para mais mudanças e adaptações serem feitas e vamos para a corrida em Goiânia, que vai ser mais um treino. Tudo vai ser aprendizado para mim e desenvolvimento para a equipe. Depois vamos fazer os treinos para pensar em resultado na corrida de julho em Interlagos”, adiantou.

Apesar da experiência de quase três décadas no automobilismo, que inclui seis temporadas no Mundial de Fórmula 1, Caffi vê-se na condição de estreante. “Um piloto experiente com caminhões poderia comandar o trabalho de desenvolvimento com maior agilidade, mas não tenho essa experiência com caminhões, preciso aprender com todos aqui. O que vivi em Caruaru me deu a certeza de que esse desafio será agradável”, encerrou.

Posts Relacionados

0 comentários :