Relembrando Donington

26/03/2014

Não, não vou falar da primeira volta de Senna no GP da Europa de 1993, saindo de 4º para 1º, debaixo de muita chuva, superando as Williams de Prost e Hill, além da Benettton de Michael Schumacher.

A dita 'primeira melhor volta da história'...

Ate porque não concordo com essa alcunha.

Barrichello, por exemplo, fez mais.

Na mesma 'melhor volta da história', saiu de 12º para o 4º lugar, de Jordan.

Vamos lá.

Quando Senna passou por Wendingler para assumir o terceiro lugar, Barrichello já havia se livrado de Johnny Herbert, da Lotus, Riccardo Patrese, da Benetton, e Gerhard Berger, da Ferrari. Além de JJ Lehto, o 11º no grid, que havia largado dos boxes

Quando Senna ultrapassou Hill para assumir a segunda posição, Barrichello passava por Alesi, da Ferrari, Wendingler e Michael Andretti - que se engalfinharam bem na sua frente - além da Benetton de Schumacher, que cometeu um erro bem na sua frente.



Tudo na primeira volta!

Na abertura da segunda volta, Senna liderava, seguido por Prost, Hill... E Barrichello!

Só então a TV passou a se questionar como aquele brasileiro estava naquela posição. Um estreante, n'uma Jordan, debaixo de um aguaceiro da porra...  

Não era possível!

Daí em diante, Senna passou a comandar a corrida, e o final dela todos conhecem. Uma volta em cima de todos, com exceção do segundo colocado, Hill. 

Barrichello por sua vez, que chegou a andar em segundo, caminhava para um pódio em sua terceira corrida na Fórmula 1, entre as Williams de Hill e Prost.

Mas o destino não quis assim...

O mesmo destino que tantas e tantas vezes pregaria peças se manifestou pela primeira vez. 

Faltando apenas cinco voltas para o final, e com uma confortável vantagem sobre a Williams de Prost, Barrichello se vê obrigado a abandonar por conta de um problema na bomba de combustível.

Será que o pódio teria feito diferença?

Posts Relacionados

0 comentários :