Grande Prêmio da Espanha de 1999

31/05/2014

Se havia um circuito que pilotos e equipes conheciam com a palma da mão no final dos anos 90, esse era o Circuit de Catalunya, em Montmeló, nas proximidades de Barcelona. O autódromo espanhol era o mais usado num tempo em que os testes eram praticamente ilimitados devido ao seu lay-out com curvas de todos os tipos e uma enorme reta dos boxes, o que na teoria era um excelente ponto de ultrapassagem na freada desta reta, mas nos últimos tempos o Grande Prêmio da Espanha vinha sendo caracterizado por corridas chatas e sem ultrapassagens. Liderando os dois campeonatos após Monte Carlo, a Ferrari sabia que o circuito de Barcelona era extremamente favorável para a McLaren, mas nos treinos livres isso não aconteceu, com Schumacher e Irvine próximos dos carros prateados.

Num treino classificatório surpreendente, Jean Alesi, que havia tido sérios problemas com seu Sauber em testes recentes, tinha o melhor tempo do pelotão até os 45 minutos, quando o francês foi superado pelos quatro carros mais rápidos de 1999. Contudo, a ordem era um pouco diferente do usual. Michael Schumacher foi o primeiro a superar o tempo de Alesi por apenas alguns milésimos, então Coulthard melhorou o tempo do alemão da Ferrari por três centésimos, antes que Irvine ficasse com a pole provisória e então Mika Hakkinen, em sua última tentativa, ficou com a pole. Mesmo tendo liderado a maior parte do treino de classificação, Alesi estava esfuziante com o seu quinto lugar e Villeneuve também estava comemorando o sexto lugar. Correndo em casa, tudo o que Pedro de la Rosa e Marc Gené tinham que fazer era superar seus companheiros de equipe e assim o fizeram, mas ambos ocupando as duas últimas filas do grid.

Grid: 
1) Hakkinen (McLaren) - 1:22.088
2) Irvine (Ferrari) - 1:22.219
3) Coulthard (McLaren) - 1:22.244
4) M.Schumacher (Ferrari) - 1:22.277
5) Alesi (Sauber) - 1:22.388
6) Villeneuve (BAR) - 1:22.703
7) Barrichello (Stewart) - 1:22.920
8) Frentzen (Jordan) - 1:22.938
9) Trulli (Prost) - 1:23.194
10) R.Schumacher (Williams) - 1:23.303

O dia 30 de maio de 1999 estava quente e parcialmente nublado em Barcelona, mas sem previsão de chuva, ou seja, um clima ideal para uma corrida de F1, mas também para confirmar o favoritismo da McLaren. Depois da classificação, Coulthard falou que não estava lamentando muito o fato de ter ficado em terceiro, pois ele largaria no lado limpo da pista. Largando também do lado limpo do grid, Hakkinen não cometeu o mínimo erro no apagar das luzes vermelhas e ficou na primeira posição sem muito esforço na largada, mas atrás dele a corrida era praticamente definida. Irvine, largando no lado sujo, se atrasa e tem Coulthard ao seu lado na corrida para a primeira curva, mas o que era pior para a Ferrari, foi que Schumacher ficou encaixotado atrás dos dois pilotos, permitindo que Villeneuve, que fez uma largada extraordinária, principalmente pelo fato dele ter largado no lado sujo, entrasse na briga pela segunda posição. Coulthard fica por dentro e tem a preferência da primeira curva para emergir na segunda posição, mas Villeneuve foi ainda mais esperto e pulou para terceiro para desespero do estrategista da Ferrari, Ross Brawn.

Correndo numa de suas pistas favoritas, Mika Hakkinen imediatamente impôs um ritmo avassalador sobre Coulthard, mas o escocês estava longe de ser ameaçado, pois Villeneuve fazia um enorme favor à McLaren ao segurar os dois carros da Ferrari, com Schumacher à frente. As características do circuito de Montmeló impediam a manobra de ultrapassagem de Michael, mesmo tendo muito mais carro do que Villeneuve. Nesse momento, Ross Brawn não fez sua magia e deixou Schumacher 23 voltas atrás de Villeneuve, deixando que as duas McLarens disparassem na ponta. Surpreendentemente Irvine fez sua parada primeiro, indicando para a BAR que a parada de Schumacher era iminente e essa era a primeira chance (havia a previsão de duas paradas) do alemão ultrapassar Villeneuve nas táticas de boxe. De forma inteligente e antevendo a estratégia da Ferrari para Schumacher, a BAR traz Villeneuve na volta seguinte, com Schumacher logo atrás. Isso poderia ser o fim da esperança de uma corrida decente para Schumacher, mas a BAR, mesmo sendo a sucessora da Tyrrell, mostrou problemas de noviciado e sua equipe de pit-stop não foi páreo para a experiência da Ferrari, com Villeneuve perdendo um tempo absurdo nos boxes e caindo para quinto. Porém, o estrago estava feito para a Ferrari.

Hakkinen e Coulthard fizeram suas paradas de forma normal e ambos correram praticamente sozinhos. Em seu segundo stint, Schumacher tentou fazer milagre e esboçou uma aproximação em cima de Coulthard, mas quando o alemão foi aos boxes fazer sua segunda parada, Michael deu de cara com a lenta Arrows de Takagi no pit-lane, perdendo segundos preciosos, deixando o alemão conformado com o terceiro lugar, com Irvine também quieto, em quarto. Villeneuve tinha tudo para conseguir seu melhor resultado pela BAR até então com uma quinta posição, mas em sua segunda parada, o canadense deixou o motor morrer, mas na verdade o câmbio havia quebrado e o canadense abandonou ali mesmo. Alesi, que tinha feito um treino surpreendente, abandonou ainda durante o primeiro round de paradas e logo depois Frentzen, que estava na zona de pontuação, teve um problema de câmbio e abandonou. Com isso, Ralf Schumacher conseguiu um bom quinto lugar depois de largar em décimo, com Trulli, sofrendo muita pressão de Damon Hill nas últimas voltas, completando os pilotos que marcaram pontos. Hakkinen recebeu tranquilamente a bandeirada em primeiro, com Coulthard completando a primeira dobradinha da McLaren em 1999. Mesmo com as expectativas baixas, o terceiro lugar de Schumacher não lhe satisfez pela má largada de Irvine, que acabou arruindo sua prova, mas o alemão ainda estava na liderança do campeonato, mas agora com um ameaçador Mika Hakkinen no seu encalço.

Chegada:
1) Hakkinen
2) Coulthard
3) M.Schumacher
4) Irvine
5) R.Schumacher
6) Trulli

Posts Relacionados

0 comentários :