Grande Prêmio da Suécia de 1974

11/06/2014

O Grande Prêmio da Suécia teria sua segunda edição no pequeno autódromo de Anderstorp com a torcida sueca altamente motivada pela bela vitória do ídolo local Ronnie Peterson na corrida anterior, em Mônaco. Porém, Tyrrell, Ferrari e McLaren eram claramente superiores ao já defasado Lotus 72 de Peterson, que ainda sonhava com o título. Única prova de F1 na Escandinávia provocou uma leva de pilotos nórdicos a participarem da corrida em Anderstorp, com o sueco Bertil Ross fazendo sua estreia na F1, o dinamarquês Tom Belso voltando ao volante da Iso-Williams, o sueco Reine Wisell substituindo o machucado Hans-Joachim Stuck na March e Leo Kinnunen da Finlândia, conhecido pelas suas corridas em provas de endurance e pelo fato de ser um dos últimos pilotos a usar capacete aberto no automobilismo da época, também estreando na F1.

Como Anderstorp não era uma pista muito conhecida, os pilotos aproveitaram para treinar à vontade pelo circuito sueco para acertar os carros e ficou claro que a Tyrrell levava vantagem na Suécia. Para espanto geral, Patrick Depailler superou seu afamado companheiro de equipe Jody Scheckter por três décimos e conseguia a sua primeira pole, numa primeira fila toda azul-Tyrrell. A segunda fila era toda vermelho-Ferrari, com o ídolo local Peterson conquistando uma boa quinta posição. As McLarens não conseguiram um bom acerto em Anderstorp e Emerson Fittipaldi teve que se conformar com uma nona posição, com Hailwood em 11º e Hulme uma posição atrás. 

Grid: 
1) Depailler (Tyrrell) - 1:24.758
2) Scheckter (Tyrrell) - 1:25.076
3) Lauda (Ferrari) - 1:25.161
4) Regazzoni (Ferrari) - 1:25.276
5) Peterson (Lotus) - 1:25.390
6) Hunt (Hesketh) - 1:25.556
7) Ickx (Lotus) - 1:25.650
8) Jarier (Shadow) - 1:25.725
9) E.Fittipaldi (McLaren) - 1:25.938
10) Reutemann (Brabham) - 1:25.962

O dia 9 de junho de 1974 estava ensolarado em Anderstorp e uma multidão de torcedores suecos lotaram o autódromo para torcer por Ronnie Peterson, mesmo com Ferrari e, principalmente, a Tyrrell muito bem no final de semana sueco. Mal acostumado a largar sem ninguém à sua frente, Depailler sai lentamente quando a bandeira sueca é baixada e Scheckter assume a primeira posição. Correndo em casa e agressivo por natureza, Peterson consegue uma largada-relâmpago e passa por entre as duas Ferraris para ultrapassar Depailler na freada da primeira curva. Peterson pula de 5º para 2º em poucas curvas e a torcida sueca vibra!

Porém, era claro a superioridade da Tyrrell e com Peterson segurando um pelotão atrás de si, Scheckter aproveitou para disparar na ponta. Mais atrás, uma cena insólita aconteceu quando Mike Hailwood teve um vazamento de combustível e o próprio inglês tentou consertar sua McLaren no meio da pista, mas tendo que abandonar logo depois. Oito voltas haviam se passado e mesmo colado na traseira de Peterson, Depailler não conseguia espaço para efetuar a ultrapassagem e ainda era pressionado pelas duas Ferraris, com Lauda à frente. Porém, muita fumaça apareceu na traseira da Lotus de Peterson na nona volta e para frustração da torcida presente no autódromo, um semi-eixo quebrado fez com que Ronnie abandonasse a prova prematuramente. À essa altura, Scheckter já tinha 4s de vantagem sobre seu companheiro de equipe, que era perseguido pelas Ferraris de Lauda e Regazzoni, mas sem muita briga entre eles. Mais atrás, Reutemann vinha em quinto lugar, perseguido de perto por James Hunt. Jarier tinha problemas de freios na sétima posição e segurava um pelotão que tinha Ickx, Emerson Fittipaldi e Hulme.

Com o passar das voltas, a Tyrrell aumentava a sua vantagem para a Ferrari. Enquanto Scheckter e Depailler continuavam separados por 4s, a vantagem do francês para Lauda era superior a 10s. Na volta 23 Regazzoni tem problemas de câmbio e abandona, deixando sua quarta posição para Hunt, que havia ultrapassado Reutemann algumas voltas antes. Outra cena dantesca aconteceu na volta 26 quando o extintor de incêndio dentro do Shadow de Jarier disparou e o francês perdeu três posições até o aparado de emergência se esvaziar e o francês continuar normalmente na prova. Na volta 30 Ickx abandona pela sexta vez em sete corridas e Emerson assume a quinta posição, seguido de perto por Hulme, Brambilla e Jarier. A corrida fica estática, sem nenhuma mudança de posição, apesar da aproximação de Hunt em cima de Lauda na briga pela terceira posição. Passando da metade da prova, Lauda passa a conviver com um problema na suspensão dianteira de sua Ferrari, deteriorando a dirigibilidade do seu carro e fazendo com que Hunt se aproximasse mais rapidamente.

Quando Hunt se aproximou de Lauda, que tinha o carro cada vez mais instável, o austríaco ainda se segurou por cinco voltas, mas o inglês assumiu a terceira posição na volta 65, com quinze voltas para o fim, e se tornou o piloto mais rápido da pista. Para completar o drama de Lauda, logo após ser ultrapassado por Hunt um problema de câmbio se manisfestou e com dois problemas para gerir, Niki resolve abandonar a corrida, para profundo desgosto de Luca di Montezemo no boxe da Ferrari. Mais atrás, Hulme também abandonava com a suspensão quebrada. Hunt fazia uma corrida empolgante, pilotando como se necessitasse desesperadamente da vitória e mesmo com Depailler aumentando seu ritmo, Hunt chega a virar 2s mais rápido do que o francês. Faltando cinco voltas, os dois carros da Tyrrell andavam juntos e com 5s de vantagem sobre Hunt, passaram a controlar a corrida e Jody Scheckter vencia pela primeira vez na F1, com Depailler conseguindo seu primeiro pódio. Hunt completa a corrida menos de 3s depois de Depailler, numa tarde magnífica do inglês da Hesketh. Numa tarde sem brilho devido a problemas no acerto do seu McLaren, Emerson Fittipaldi chegou em quarto lugar, mas os três pontos foram importantes no campeonato, pois agora o brasileiro tinha cinco de vantagem em cima de Regazzoni, o vice-líder. Num campeonato emocionante, Scheckter se tornou o sexto vencedor diferente em sete corridas e com a vitória, o sul-africano de 24 anos também entrava na briga do título, pois estava empatado em terceiro lugar no campeonato com Lauda. No boxe da Tyrrell, havia uma emoção genuína pela primeira vitória da equipe desde o trágico final de temporada de 1973, com a aposentadoria de Stewart e a morte de Cevert.

Chegada:
1) Scheckter
2) Depailler
3) Hunt
4) E.Fittipaldi
5) Jarier
6) Hill

Posts Relacionados

0 comentários :